Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Nem 8 nem 50

por jl, em 16.12.17

pouco uso.jpgOlá.

Que esteja tudo bem aí por esses lados. Hoje enquanto olhava para o céu vi algo que me chamou a atenção. Era um pássaro? Era um avião? Era o Super-Homem? Não. Era o meu subsidio de Natal que tinha ganho asas e já tinha voado da minha carteira. Por isso mesmo a poupança não podia sair do meu vocabulário, mas daquilo que leio existem pessoas bem mais poupadas que eu. Cá vai um exemplo disso mesmo:

 Casal usou eletrodomésticos durante 50 anos e agora quer facturar algum dinheiro com eles

Numa época em que o povo se aglomera em massa e quase se atropela nas compras de Natal, depois dos saldos e na Black Friday, não será arriscado dizer que a novidade ultrapassou a qualidade na hora de fazer compras. Claro que é quem tiver dinheirinho, ou quem tiver um cartão de crédito mesmo que esteja empenhado atá ao pescoço!  Um smartphone que pode durar quatro anos, por exemplo, raramente passa dos dois quando a novidade se impõe e o consumidor cede à pressão. Ou faz como eu, que já o tem há dois anos e como gosta de novidades tem o ecran divididoem cinco. A força da gravidade por vezes faz isto!!

Mas voltando à história, Sydney e Rachel Saunders, de 86 e 81 anos, respetivamente, nunca alinharam com as modas de compra e deita fora pouco tempo depois. O casal britânico tornou-se notícia depois de ter contactado um jornal de Exeter, no Reino Unido, para poder vender alguns eletrodomésticos que usam há várias décadas. E não porque tenham deixado de funcionar, mas porque se vão mudar e o novo apartamento está equipado, conta a BBC.

Entre estes eletrodomésticos está uma máquina de secar roupa que é usada, sem interrupções, desde que foi comprada, em 1962, por altura do nascimento da primeira filha do casal. Não sei qual é a marca mas que pode dar garantia para uma vida, lá isso pode.

Há também uma máquina de lavar roupa e um fogão, ambos comprados em 1956, no mesmo ano em que casaram. Vendem, ainda, um par de ferros elétricos e um fervedor de água.

Destes eletrodomésticos, só a máquina de secar é que ainda se encontrava em uso, os outros estavam já arrumados, tendo sido substituídos por novos. No entanto, nunca foram deitados fora, para o caso dos novos avariarem. “Seria uma pena deitar tudo fora”, indicou Rachel.

Se eu fosse fabricante destes produtos não gostaria muito que os consumidores fossem todos assim, mas hoje em dia é de extremos. A moda das televisões finas veio para ficar, mas quantas televisões mais antigas são deitadas ao lixo só porque tem dez anos embora funcionem perfeitamente?

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 12:52

Sempre a inovar

por jl, em 15.12.17

 

vestiário.jpgOlá.

Hoje li um artigo que me fez ver que Portugal é mesmo um país bastante polivalente que se adapta com imensa facilidade a novos desafios. Cá vai um exemplo perfeito disso mesmo:

O Túmulo de Alexandre Herculano nos Jerónimos, está a servir de bengaleiro

Foram imagens partilhadas nas redes sociais e que mostra mochilas e casacos pendurados no túmulo do historiador.

O crítico de cinema, Eurico de Barros, partilhou duas fotografias na sua página de Facebook, que mostram a situação anteriormente descrita. "Turismo massificado, embrutecimento colectivo, falta de dinheiro para pagar a vigilantes e desleixo institucionalizado dão nisto: túmulo de Alexandre Herculano nos Jerónimos", escreveu naquela rede social.

Mas está sempre a ouvir que o nosso desempenho é inferior ao resto da Europa e que temos que nos saber adaptar e depois quando acontece isto, o pessoal critica! O Panteão não dá para servir jantares? Um dia destes ainda vamos ver este local a servir de banca para bolinhos e café!!

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 17:49

Sorte malvada

por jl, em 15.12.17

sorte ou nao.jpgHo! Ho! Ho!

Hoje lembrei-me de começar a escrever este artigo com uma das expressões que se ouve em todo o lado. Desde a sapataria à perfumaria, que a expressão do velhote de barbas nos bombardeia. Mas continuando, isto também é daquelas alturas em que mais se joga em tudo e mais alguma coisa. Desde a já tradicional Lotaria, até às rifas que nos bombardeiam ou na casa do Euro, ou no Infantário do filho ou da vizinha que sorteia um bacalhau. Existem também pessoas que são bafejadas pela Sorte, quer de um sorteio de uma rádio ou da televisão. E o caso que deixo a seguir é mesmo sobre isso:

Presente envenenado: um Cabaz de Natal deixa um homem quase falido

A expressão presente envenenado nunca fez tanto sentido como na história partilhada por Víctor Brun no "Programa de Ana Rosa", da televisão espanhola "Telecinco". O homem contou que, num sorteio, ganhou um cabaz que incluía dois carros, uma moto, várias viagens, presuntos e outros produtos. O valor do prémio ultrapassava os 360 mil euros.

A alegria inicial, própria de quem ganha um prémio deste valor, deu lugar à tristeza e angústia, depois das Finanças Espanholas reclamarem quase metade do prémio, cerca de 46% do valor final, a serem pagos em duas prestações. O grande problema é que os juros gerados pelo atraso no pagamento de impostos ascendem a 160 mil euros, que é o valor da dívida que tem a pagar neste momento.

No programa, que foi para nesta segunda-feira, Víctor explicou que tentou devolver o prémio, mas não o aceitaram. "Disseram que era meu e que tinha que pagar a dívida com dinheiro", afirmou.

Para além de ter que pagar a dívida que acumulou, vai ser obrigado a dar vários produtos a amigos e familiares devido aos prazos de validade. O homem também tentou vender os carros que ganhou, mas como é lógico o valor oferecido pelos revendedores não chega para pagar o valor reclamado pelas autoridadees tributárias.

Desgostoso com o que lhe está a acontecer, disse que não volta a participar em sorteios e lamenta a situação em que se encontra, sem poder pedir créditos ao banco, já que está em dívida com as finanças.

Moral da história, existem males que afinal não são assim tão ruins. Já estou a ver que sou um sortudo, porque a mim nem uma caixa de Ferrero Rocher me sai em lado nenhum!

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 13:00

És filho de quem?

por jl, em 14.12.17

pai_natal_homer.jpgOlá.

Hoje venho aqui deixar um artigo que me fez pensar que neste país continua aquela coisa de que mais vale cair em graça do que ser engraçado. E digo isto relacionado com a tolerância de ponto que o Toni Costa mandou cá para fora e que li agora na Net. Mas cá vai:

O Governo concede tolerância de ponto a 26 de dezembro

O nosso Governo vai conceder tolerância de ponto em 26 de dezembro "aos trabalhadores que exercem funções públicas nos serviços da administração direta do Estado, sejam eles centrais ou desconcentrados, e institutos públicos", de acordo com um despacho que foi hoje assinado.

As excepções que ocorrerão, de acordo com o executivo, são "os serviços e organismos que, por razões de interesse público, devam manter-se em funcionamento naquele período, em termos a definir pelo membro do Governo competente".

"Sem prejuízo da continuidade e da qualidade do serviço a prestar, os dirigentes máximos dos serviços e organismos referidos no número anterior devem promover a equivalente dispensa do dever de assiduidade dos respetivos trabalhadores, em dia a fixar oportunamente", é também referido no despacho.

O Governo justifica ainda esta decisão com o facto de ser "tradicional a deslocação de muitas pessoas para fora dos seus locais de residência no período natalício tendo em vista a realização de reuniões familiares".

Eu sinceramente só não sei o motivo de virem dar uma justificação, porque existir tolerância só para uma parte da sociedade é daquelas coisas que fazem com que a minha vontade de ir votar seja cada vez menor. É a diferença de uns serem filhos da mãe e outros serem filhos da outra senhora.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 19:56

De queixo e de bico aberto

por jl, em 14.12.17

china.jpgBoas.

Que estejam bem. Hoje stou um bocadito cansado porque a minha Maria acorda-me durante a noite para dizer para me virar porque estou a ressonar. Onde se já viu isto? De manhã quando eu acordasse dizia-me, assim acordo e para adormecer às vezes demoro para aí três minutos. Estas mulheres são tramadas. Mas na China elas são mais bem treinadas. Ora aqui vai o que quero dizer:

Fechada escola que ensinava mulheres a obedecer aos homens

Instituto pretendia ensinar as "virtudes femininas". Autoridades fecharam a dita escola, mas há relatos de que possam existir mais na China. Acho muito bem, então se as mulheres estão aqui graças a uma costela do Adão, os homens tem que fazer que elas nos sigam! Espero bem que a minha Maria não leia isto. É que dormir à beira da minha gata com este frio não me faz muito bem à saúde.

A escola - como é referida oficialmente - localiza-se em Fushun, no nordeste da China e tinha como função ensinar as “virtudes femininas” às mulheres virtudes femininas (pois convém, embora se o Castelo Branco sabe disto vai já a correr para a China), nomeadamente a obediência cega aos homens. Neste instituto, conta o The Telegraph, as mulheres eram também incentivadas, ou até mesmo obrigadas, a abdicar das suas carreiras profissionais e a aceitar a violência doméstica.esta parte é que não acho piada nenhuma. Na China os homens devem ganhar imenso para que as senhoras fiquem em casa e para além disso elas deveriam ser iguais a nós homens. Já em relação à violência doméstica isso nem se discute, embora eu ser acordado às quatro e tal seja de uma violência atroz.

Para além disso, segundo o mesmo jornal britânico, há mesmo relatos de mulheres que foram convencidas de que deveriam morrer caso já tivessem feito com sexo com mais de três homens. Que raio de escola é esta? Os homens podem andar a saltar em todo o lado, mas as senhoras devem morrer? Isto é bem pior que a Inquisição!

Este instituto acabou por ser denunciado nas redes sociais e o caso começou a ganhar proporção, levando as autoridades chinesas a encerrarem a dita escola. No minimo, digo eu!

As mulheres eram colocadas no instituto pelos maridos ou, em alguns casos, pelos patrões. Pelos maridos já é mau, até porque uma mulher não é mercadoria, mas pelos patrões???

Segundo o The Global Times, a escola agora encerrada em Fushun não é caso único no país, sendo que institutos semelhantes têm proliferado em território chinês nos últimos anos. Pode ser que abram escolas que fomentem juízo a muitas mentes que pelos vistos bem precisam!

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 12:12


A vida não é feita por parcelas, é feita pelo todo

Mais sobre mim

foto do autor



Pesquisar

Pesquisar no Blog  

calendário

Dezembro 2017

D S T Q Q S S
12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930
31

Comentários recentes


Mensagens




Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D