Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


Século XV de ambulância

por jl, em 01.12.16

maxresdefault.jpg

Que estejam bem.

Na sequência do último artigo que tinha deixado aqui no blog venho colocar aqui um exemplo que entretanto li na Net. O qual «rezava» assim:

Mulher inconsciente violada em ambulância por quem lhe prestava auxílio

Vítima recuperou os sentidos durante a violação e apresentou queixa às autoridades.

Dois funcionários do serviço de emergência médica estão acusados de abuso sexual de uma mulher inconsciente, dentro de uma ambulância, em Barcelona no nosso país vizinho.

O crime terá sido cometido em agosto do ano passado, altura em que uma mulher ficou inconsciente devido ao consumo excessivo de álcool. Os serviços de emergência foram então em seu auxílio, mas foi durante a viagem para o hospital que o suposto crime aconteceu.

A análise aos dados recolhidos pelo localizador GPS comprova agora que a ambulância onde seguia a paciente esteve parada cerca de 15 minutos numa estrada a cerca de 100 metros do hospital.

O procurador do Ministério Público pede uma pena de sete anos de prisão para os suspeitos, que negam no entanto as acusações que lhe são imputadas, segundo refere o jornal La Vanguardia.

Se estas acusações forem comprovadas estas pessoas deveriam ser exemplarmente punidas.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 18:10

Há muita gente a viver no século XV

por jl, em 01.12.16

violação-300x178.jpgOlá.

Que esteja tudo bem aí por esses lados. Hoje ao ler as notícias vi algo que me deixou um bocado atónito. Então cá vai:

Estudo diz que 25% dos portugueses considera aceitáveis violações nalguns casos

Mais de um quarto dos europeus acredita que as violações podem ser justificadas nalgumas situações (este estudo por incrível que pareça não é do século XV é mesmo de agora). É pelo menos este o resultado de um estudo a que o britânico The Independent faz esta quarta-feira.

De acordo com o estudo, mais de um quarto dos europeus considera aceitável, em algumas circunstâncias, ser sujeito a violação.

Situações como estar sob efeito de drogas ou álcool, usar roupas "reveladoras" ou até ir para casa sozinho com o atacante são casos em que as violações são tidas como justificadas para esta fatia de europeus. Eu não bebo, mas ao ler isto parece que estou com uma grande «moca».

Mais de 20% (27%) dos 30 mil cidadãos inquiridos diz que, em pelo menos uma destas circunstâncias, as violações são justificadas; 12% responderam que era aceitável no caso de a vítima ter ingerido álcool ou consumido drogas (ou seja se alguém estiver alcoolizado então pode-se violar. Que mais se pode dizer, não é?); e 10% afirmou que sexo sem consentimento podia ser justificado se a vítima não disser um 'não' convicto e se não 'lutar' fisicamente para não ter relacionamento. O que é um não convicto para não ser violada? A sério que não entendo estas pessoas!

E o nosso país, onde se encontra neste panorama? Entre os 22 % e os 29% dos portugueses considera o sexo sem consentimento justificado dependendo das circunstâncias.

A percentagem varia de país para país, sendo a Roménia a nação onde a maioria dos inquiridos afirmou considerar aceitável uma violação sexual, em pelo menos um dos casos acima enumerados. Estima-se que cerca de uma em cada cinco mulheres sejam violadas em algum momento da sua vida. Enquanto cerca de um em cada 71 homens passarão pelo mesmo. Se estas pessoas que são violadores em potência, lhes acontecesse o mesmo será que pensariam da mesma maneira?

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 16:30

Ai que ordinarice

por jl, em 01.12.16

sex02.jpgBoas.

Que estejam bem aí desse lado do ecrã. Se é daquelas pessoas viajadas venho aqui deixar uns conselhos para que nenhuma surpresa o apanhe por esse mundo fora. Cá vai:

Em Romboch, Virginia nos Estados Unidos, é ilegal a actividade sexual com as luzes acesas. Ou seja se fosse administrador ou accionista da EDP não gostaria nada desta lei.

Em Nevada, é contra a lei ter relações sexuais sem preservativo. Se esta lei fosse aplicada em todo o lado não se perderia nada. Mas esta lei especialmente se fosse com pessoas estranhas ou parceiros/as ocasionais seria muito bem-vinda. Mas isto não era preciso lei. Era pôr só a consciência de cada um a trabalhar.

É ilegal para qualquer membro da Legislatura de Nevada, durante um acto oficial, vestir-se com uma fantasia de pénis enquanto o legislador estiver em sessão. Ou seja se for mascarado de vagina está à vontade, mas se for de pirilau está sujeito.

Nos estados de Arizona, Flórida, Idaho, Indiana, Massachusetts, Mississippi, Nebraska, Nevada, New York, Ohio, Oklahoma, Oregon, Dakota do Sul, Tennessee, Utah, Vermont, Washington e Wisconsin, a erecção que pode ser vista através da roupa de um homem é ilegal. Ao ler isto fiquei curioso em como o pessoal destes Estados conseguem disfarçar tal acto?

É proibido que um marido faça sexo com a esposa se seu hálito cheira a alho, cebola ou sardinha, em Alexandria, Minnesota. Se a esposa reclamar do fato, a lei diz que ele deve escovar os dentes. Ou seja aquele pessoal que vai no autocarro e cheira a cavalo que não se lava há um mês está safo!

Em Minnesota, é ilegal para qualquer homem ter relações sexuais com um peixe vivo. Mas se quiserem sexo oral é capaz de ser melhor não escolherem uma piranha. Porque senão só fazem uma vez. Aparentemente, as mulheres estão à vontade mas ainda gostava de ver uma senhora com ume enguia eléctrica.

Isto embora às vezes pareça brincadeira, são mesmo leis em vigor por este Mundo fora.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 08:51


A vida não é feita por parcelas, é feita pelo todo

Mais sobre mim

foto do autor



Pesquisar

Pesquisar no Blog  

calendário

Dezembro 2016

D S T Q Q S S
123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031

Comentários recentes


Mensagens




Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D