Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


Qual o futuro da Humanidade?

por jl, em 11.06.17

atropelamento.png

Boas.

Hoje em dia vivemos numa sociedade em que o nosso vizinho do lado é conhecido quase só de vista e que se soubermos o nome dele já é um achado. Quanto maior é a sociedade em que se vive, mais isolado se vive. Sou do tempo em que os nossos vizinhos eram quase membros da nossa família e um cumprimento era sempre trocado mesmo que fossem só pessoas conhecidas. Mas hoje em dia é um bocado diferente e para comprovar isso mesmo aqui deixo uma história:

Atropelamento  levanta discussão sobre frieza da sociedade

Um acidente de trânsito captado por câmaras de vigilância e divulgado nas redes sociais está a chocar as pessoas que o viram, e levantou um enorme debate na China sobre a perda de valores e de confiança na sociedade, escreve o jornal The New York Times.

Nas imagens, colocadas online na passada quarta-feira, é visível uma mulher que tenta atravessar a estrada numa passadeira, aparentemente com sinal vermelho para os peões. Pouco depois, acaba por ser atropelada e fica caída no chão.

Quando o sinal fica verde para os peões, uma série de pessoas passa junto à mulher, ignorando-a, enquanto esta pede ajuda, estendida no chão. Esta ainda chega a levantar a cabeça, mas o tráfego recomeça e acaba por ser atropelada novamente.

A mulher acabaria por morrer mais tarde, vítima dos ferimentos, segundo o mesmo jornal norte-americano.

Que valores é que a nossa sociedade quer assumir? Um dia destes, sermos chamados de Seres Humanos será um completo exagero!

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 17:32

Que dizer de um comportamento destes?

por jl, em 11.06.17

agressao.jpg

Olá.

Quando se bate em alguém de falsa fé é cobardia. Que dizer quando um adulto faz isso a uma criança? Cá vai então a história:

Esmurra bebé para poder ver programa de televisão descansado

Agressão deixou menina com danos cerebrais permanentes

Um homem de Portadown, Irlanda do Norte, foi condenado a 13 anos de prisão por ter agredido violentamente uma menina bebé de apenas dois anos. Darren Fagan, de 29 anos, esmurrou a criança porque está estava a fazer barulho e não o deixava ver o programa de televisão ‘X-Factor’. Tudo aconteceu em Outubro passado.

Darren tinha visitado uma amiga, a mãe da menina e estava na sala com a criança, numa casa em County Armagh. A mãe da menina saiu de casa por momentos e pediu ao amigo, que estava a ver televisão, que tomasse conta da filha. Como a bebé começou a chorar, Darren irritou-se e agrediu então a criança. A menina sofreu vários hematomas na face e cabeça, sendo que os murros lhe causaram uma hemorragia cerebral, que a deixou com danos irreversíveis. O homem foi acusado de tentativa de homicídio, mas acabou por confessar o crime de maus-tratos infantis agravados, num acordo com a acusação. O juiz que o condenou considerou que o ataque foi "cobarde, vingativo e chocante".

Que dizer de uma pessoa que tem um comportamento destes? Será que isto é uma pena adequada? E em muitos países (incluído um que eu cá sei) este castigo seria bem inferior!

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 09:22


A vida não é feita por parcelas, é feita pelo todo

Mais sobre mim

foto do autor



Pesquisar

Pesquisar no Blog  

calendário

Junho 2017

D S T Q Q S S
123
45678910
11121314151617
18192021222324
252627282930

Comentários recentes

  • Aninhas

    28 filhos? Valha-me santo cristo! E todos da mesma...

  • Triptofano!

    Espero que não sejam todas da mesma mulher senão a...

  • Maribel Maia

    Realmente, andar com ele ao colo deve ser difícil!...

  • Triptofano!

    A lição que tiramos daqui é não comprar tintas a c...

  • Mamã Silvestre

    desconhecia


Mensagens




Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D