Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


Ui que cheirinho!

por jl, em 10.12.17

desodorizante.jpgOlá.

Vocês já entraram em algum transporte público em que vocês estão junto a uma pessoa e o cheiro que vem debaixo dos braços faz com que se lembre que uma doninha parece cheirar a flores silvestres? Pois bem, afinal essas pessoas parecem não estar assim tão erradas se bem que para o meu nariz não transpareca isso . Mas cá vai a explicação:

Polémica: será que os desodorizantes são bons para a saúde?

Esta é uma das polémicas da indústria da higiene e saúde e que está muito longe de ter um fim à vista. A questão coloca-se agora em torno da possibilidade de os desodorizantes e os antitranspirantes poderem matar bactérias naturais que vivem nas axilas e que podem ser essenciais à pele. Se bem que as bactérias que são mortas são um alívio para o meu nariz.

Um novo estudo, feito junto de 18 homens e mulheres (ena tanta gente!!), procurou analisar as bactérias que crescem na pele e as que são mortas devido ao uso daqueles produtos. De acordo com aquela investigação, o grupo que regularmente usou antitranspirantes – produtos que usam sais de alumínio para reduzir o suor – tinha menos bactérias na axila.

Já os participantes que interromperam o uso daqueles produtos desenvolveram muito mais bactérias, mas as mesmas revelaram ser não patogénicas. Portanto, tudo aponta para que continuemos a contar com a ajuda daqueles produtos para tornar a vida um pouco menos difícil. Iupi! Será que dá para pôr o seu uso obrigatório?

Contudo, será que os desodorizantes naturais resolver este dilema? “Não há provas conclusivas que apontem para uma ligação direta entre os desodorizantes e os antitranspirantes e as doenças, por isso as mulheres podem continuar a usar este tipo de produtos”, segundo declarou uma especialista ao jornal britânico The Guardian. Esta senhora é a Polly Cheirinhos.

Considera-se até que aquelas soluções podem ser tão seguras como outras que usamos na higiene diária como champô, gel de banho, perfumes e cremes. Excluem-se, claro, as situações em torno de feridas na pele ou o desenvolvimento de alergias.

Mas, a demonização deste tipo de produtos pode, para já, abrandar até porque, apesar da multiplicidade de estudos, certo é que ainda não há consenso científico em torno de uma eventual ligação entre o uso deste tipo de produtos e doenças como o cancro.

E a verdade seja dita, que para o bem do nosso nariz espero bem que não se chegue a nenhuma conclusão que diga que estes produtos fazem mal.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 12:33


A vida não é feita por parcelas, é feita pelo todo

Mais sobre mim

foto do autor



Pesquisar

Pesquisar no Blog  

calendário

Dezembro 2017

D S T Q Q S S
12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930
31

Comentários recentes

  • Maribel Maia

    Ah ah ah! Os miúdos não querem outra coisa, pizza ...

  • jl

    obrigado

  • Alfa

    Um post execelente. Educativo mas de uma forma bem...

  • Aninhas.

    Quem me dera dormir que nem um passarinho! É mto r...

  • jl

    hoje em dia pegar num chinelo já é capaz de ser cr...


Mensagens




Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D