Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]


A política do Medo

por jl, em 13.02.17

galeries-lafayette.jpgBoas.

Hoje em dia e cada vez mais a sociedade que vivemos está a tornar-se de extremos. Ou muito securitária ou de um desleixo total. Para comprovar isso mesmo deixo aqui um artigo. Cá vai então:

Doente com cancro impedida de entrar nas Galeries Lafayette em França

Mulher tinha a cabeça coberta devido à queda do cabelo. Segurança impediu-a de entrar por alegado excesso de zelo

A história foi contada em primeira mão nas redes sociais, pela filha da mulher que viu negado o acesso às Galeries Lafayette em Toulouse, França: a mãe, doente de cancro e sem cabelo devido aos efeitos secundários da quimioterapia, quis entrar na loja para comprar um adereço para o chapéu que levava na cabeça, mas foi barrada por um segurança que lhe disse que não poderia entrar com a cabeça coberta.

Devido à ameaça terrorista, e com o estado de emergência em vigor em França, alguns agentes de segurança podem pedir aos transeuntes que retirem acessórios que lhes cubram a face. Terá sido esta a motivação do vigilante - segundo as Galeries Lafayette - que confrontou a mulher, pedindo-lhe que tirasse então o seu  chapéu. Ela, por sua vez, mostrou-lhe que tinha perdido o cabelo devido à doença e que era por essa razão que levava a cabeça coberta, pedindo-lhe compreensão. Mas o segurança terá sido inflexível e barrou-lhe a entrada.

A publicação tornou-se viral nas redes sociais e as Galeries Lafayette foram amplamente criticadas. No Twitter e no Facebook, sucederam-se os apelos ao boicote das lojas do grupo, abertas em várias cidades francesas, nomeadamente na capital.

Os responsáveis da loja apressaram-se a contactar a família e responderam às acusações garantindo que se tratou de "excesso de zelo". No Twitter, escreveram que o "acto chocante" não representa os valores do grupo e que o director dos armazéns está já em contacto com a cliente.

A porta-voz das Lafayette garantiu que se tratou de um "excesso de zelo" e que a empresa agirá em consequência com o acontecido. Mas, contactado pela AFP, o director descartou o despedimento do vigilante que barrou a mulher. "O importante é dar indicações claras e garantir que isto não volta a acontecer. Qualquer um pode cometer erros", assinalou.

O medo que hoje em dia assola especialmente as grandes cidades vai levar que situações  como esta, se repitam mais vezes.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 09:20



A vida não é feita por parcelas, é feita pelo todo

Mais sobre mim

foto do autor



Pesquisar

Pesquisar no Blog  

calendário

Fevereiro 2017

D S T Q Q S S
1234
567891011
12131415161718
19202122232425
262728

Comentários recentes


Mensagens




Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D