Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]


Uma questão de mentalidade

por jl, em 27.03.17

japan.jpgBoas.

Como sabemos o Japão é daqueles países que estão muito à frente em quase tudo. Porém li um artigo que me deixou pensativo. Cá vai ele então:

Idosos que entreguem a carta têm desconto no funeral no Japão

Com a população do Japão a demonstrar-se cada vez mais envelhecida, a quantidade de condutores de idades mais avançadas nas estradas parece estar a preocupar as autoridades locais, preocupadas com a segurança rodoviária não só desses condutores, mas também com a dos outros ocupantes das vias.

Neste sentido, uma agência funerária de Aichi (que quer dizer: direitinhos ao Céu) decidiu levar a cabo uma campanha bastante curiosa para os condutores mais velhos: descontos nas cerimónias fúnebres no caso de renúncia à carta de condução caso sintam que estão a perder qualidades atrás do volante.

A ideia partiu da Heiankaku Company, uma agência que pretende assim apelar aos condutores com idades mais avançadas a abdicarem da prática da condução em prol de descontos de 15% na sua própria cerimónia fúnebre. Olha que maneira linda de encarar o final da vida!

O desconto é válido para os cidadãos locais que tenham abdicado do seu título legal de condução desde 1 de março, podendo ser aplicado em qualquer uma das 89 agências espalhadas pela prefeitura de Aichi, com as famílias a poderem beneficiar do desconto no momento de pagamento da cerimónia do falecido. Para poderem beneficiar do desconto, os condutores têm de apresentar uma prova, emitida pela polícia, da entrega da carta de condução.

Esta prática tem por objectivo colocar um travão nos acidentes rodoviários em que condutores idosos estejam envolvidos, com a polícia local de Aichi, com que a agência formou uma parceria (que linda união) , a apontar um total de 13,2% de acidentes fatais com condutores de mais de 75 anos envolvidos no ano passado, mais 5% do que em 2007.

Alguns dos acidentes, reporta o Manichi, resultaram de condutores que confundiram o pedal do travão com o do acelerador ou que colocaram a marcha-atrás de forma inadvertida.

Esquemas semelhantes foram montados noutras prefeituras do Japão, como no caso da de Osaka, em que, em troca da carta de condução recebiam descontos em bens e serviços nas lojas locais, o que parece ter reunido muita adesão: Osaka tornou-se no estado do Japão com a maior taxa de renúncias às cartas de condução, com 5,41% em 2015.

Os japoneses não haja dúvida pensam de maneira diferente dos portugueses. Enquanto lá se procede desta maneira, aqui deste lado tenta-se a todo o custo ter carta de condução até se bater a bota.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 08:24



A vida não é feita por parcelas, é feita pelo todo

Mais sobre mim

foto do autor



Pesquisar

Pesquisar no Blog  


Comentários recentes

  • Terminatora

    Ahahaha muito bom!

  • ipgines

    adorei.japão e japoneses são realmente um mundo ne...

  • Terminatora

    Eu tenho dito que com a idade, as "banhas" começam...

  • Aninhas

    Infelizmente, é a situaçao da vida!:-( .

  • Aninhas

    Em PORTUGAL perde-se o emprego, pr ficar em casa a...


Mensagens




Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D