Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

marianagugudada

A vida não é feita por parcelas, é feita pelo todo

A vida não é feita por parcelas, é feita pelo todo

marianagugudada

31
Mar19

Vamos nanar?

jl

NANA NANINHA.jpgBoas.

Hoje estava a ouvir numa rádio um artigo bastante curioso, nele falavam sobre uma coisa que é um pouco menosprezada, mas que é muito importante, que é o sono. Isto é daquelas coisas que como em quase tudo na vida, só se dá valor quando não o temos. E nisto sei do que falo, porque ter um trabalho em que as mudanças de turno são constantes põe-me quase como a ovelha. Choné!! Isto de dormir três ou quatro horas por dia põe qualquer um meio chanfrado. E não falo para o tio Marcelo!

É engraçado que já no século I antes de Cristo, havia um orador romano de nome Quintiliano, que louvava as virtudes de uma noite tranquila de sono. O mesmo dizia que o intervalo de uma única noite melhora a memória... Seja qual for a causa, coisas das quais não nos lembrávamos no momento são fáceis de coordenar no dia seguinte, e o próprio tempo, que é geralmente apontado como uma das causas do esquecimento, serve, na verdade, para fortalecer a memória. Nós no século XXI, quase que nem tempo temos para dormir!

Mas o sono, ou a falta dele engloba vários problemas, entre os quais o funcionamento do nosso coração.

Os adultos com mais de 45 anos e que dormem menos de seis horas por noite têm uma probabilidade duas vezes maior de virem a sofrer um ataque cardíaco ou uma apoplexia durante a vida. Isto deve-se ao facto de à medida que nosso coração é privado de sono, o mesmo bate mais depressa, fazendo que a proporção volumétrica de sangue que é bombeado através da sua vasculatura aumente e com isso a nossa pressão arterial sofra um enorme aumento. Em simultâneo ocorre um aumento crónico de uma hormona de stresse chamada cortisol, que é activada pelo sistema nervoso simpático hiperativo.

Uma consequência indesejável deste fornecimento quase continuo de cortisol é a constrição dos vasos sanguíneos, o que origina um aumento ainda maior na pressão arterial.

Agora percebo que a Gugu durma muito, assim anda calminha!!

30
Mar19

SX dá-te asas e muito mais!

jl

SX.jpgOlá.

Que estejam bem aí por esses lados. Hoje que estive a gastar umas energias lembrei-me de beber uma energia energética que me tinham arranjado. Mas sinceramente não sei se o prazo de validade do mesmo estará em dia porque quem mo arranjou diz que quando bebe isto fica com um calor enorme e faz com que a sua mulher fuja de casa. Pois bem, ficando eu curioso fui pesquisar e o que encontrei?

A bebida energética de seu nome SX era produzida na Zâmbia, mas iria ser retirada do mercado já que continha Viagra.

Esta decisão (vergonhosa, digo eu) foi tomada na sequência de uma denúncia feita pelas autoridades de saúde.

As autoridades do Uganda tinham já denunciado esta situação, depois de um consumidor se queixar de ter tido uma erecção que durou quase seis horas. E foi queixar-se? Este Mundo está perdido.

Quando aparece uma bebida com esta qualidade e com este fulgor é que fazem uma desfeita destas aos consumidores.

Por isso digo desde já, senhores zambianos desde já vão fazer uma reclamação à DECO aí do sitio. Há que respeitar os consumidores.

29
Mar19

Clarinha, se fosse aqui estavas safa!!

jl

puffff.jpgBoas.

Hoje trago aqui um artigo que cheira um bocadito mal. O mesmo teve como interveniente uma agente da Policia de 44 anos, que foi acusada de má conduta profissional por causa do seu problema gasoso.

A mulher-polícia Claire Fitzpatrick foi demitida do seu cargo após ter sofrido de flatulência no seu posto de trabalho, apesar de garantir que não o fez propositadamente. Este caso aconteceu no País de Gales. Claire, que já é conhecida como a polícia mais rude da Grã-Bretanha, também utilizou várias vezes palavrões durante os seus turnos laborais, e chegou a perguntar a um subalterno se queria ter um caso consigo.

Após ter sido alvo de um processo disciplinar, a mulher-polícia admitiu ter libertado um puzito, apesar de não ter sido intencionalmente. Ela referiu que sempre tinha levado o assunto com alguma leviandade. A mesma dizia que era melhor fora do que dentro.

Acabou por ser acusada de 25 infrações por comportamento inadequado, o que a levou a ter de despir a farda, que envergou durante 22 anos.

Mas isto só se passa em países em eu o dinheiro abunda.

Por exemplo se fosse no nosso país, esta agente decerto que estaria colocada na Policia de Choque. Havia uma manifestação e para controlar a mesma quem chamavam? Era a Clarita. Dois puzetes dela e o pessoal ficava abafadinho dos olhos e não se gastava dinheiro em armas artificiais. Em relação à sua convivência com os colegas, podia ser que encontrasse alguém com o mesmo perfil, mas primeiro está o trabalhinho!!

28
Mar19

Danos na viatura

jl

carro seguro.jpgOlá.

Hoje aqui ao pé de minha casa estava um carro estacionado com uma amassadela na sua parte posterior. Até aqui nada de anormal. Mais «chato» para o seu proprietário é que o carro tinha a matricula de Março de 2019!!

E neste caso também não sou virgem (esta frase, hummm!!), porque já tive um carrinho, um Peugeot 206 (que saudades do meu leãozinho) que me bateram ao fim um dia de o ter tirado do stand. Sim, um dia!!

E por falar nisso o que se deve fazer ao encontrar o nosso carro danificado no estacionamento? É que chegar ao nosso carro depois de se ter um dia bom especialmente em família, é de se ficar «doente». E se não soubermos quem foi o «habilidoso» desse trabalho ainda pior se fica.

Mas afinal o que se pode fazer numa situação destas? Deixo aqui então algumas sugestões:

  1. Não mover o carro

Faça o que você fizer, não mova o automóvel, nem abandone o local onde terá encontrado o carro danificado no estacionamento. Ligue para as autoridades para que estas venham registar o caso, sem deslocar o automóvel – esta é uma questão de extrema importância. Mas atenção que nem sempre a situação é rápida.

  1. Tire fotografias e todos os apontamentos

Tire fotografias aos danos causados e escreva, com o máximo detalhe possível, uma descrição do que terá acontecido, dos danos, do tempo em que isto poderá ter ocorrido, etc. Qualquer detalhe poderá ser fundamental.

  1. Política dos parques de estacionamento

Tenha muita atenção à politica que os parques de estacionamento têm em relação a estas situações. Infelizmente, a grande maioria descarta qualquer responsabilidade em caso de danos, mas, imagine que encontrou o seu carro batido no parque de um centro comercial onde foi às compras. Saiba que está protegido pelo Código de Defesa do Consumidor. Mas isto aplica-se tanto a parques pagos como gratuitos. Aqui também irão ser muito importantes as fotos e a descrição dos acontecimentos. Pode enviar, em carta registada e com aviso de receção, às entidades, nomeadamente à Associação de Defesa dos Direitos do Consumidor (DECO). Não deite fora o bilhete do parque, pode vir a dar jeito como prova. E se possível tenha um talão de pagamento com os seus dados.

  1. Verifique a existência de câmaras de vigilância

Apesar das imagens registadas nas hipotéticas câmaras do parque só valerem como prova se não forem ilícitas, pode tentar perceber o que aconteceu para provocar o dano e até encontrar testemunhas oculares, se as encontrar! Tente informar-se junto da gestão do parque se se tratam de câmaras verificadas e autorizadas e se funcionam, porque muitas vezes só estão lá a enfeitar.

  1. Accionamento do seguro

Caso o seguro do seu seguro automóvel tenha cobertura para actos de vandalismo, avance com o accionamento, junto da sua seguradora. Mas tenha muita atenção às franquias. Por vezes fica mais caro a franquia, do que o arranjo.

Ao lidar com actos de vandalismo e até danos acidentais e inofensivos, a prevenção acaba por ser a melhor política. Pratique um estacionamento “responsável”, para si e para os vizinhos. Muitas vezes temos que pensar em nós e pelos outros. Mantenha o espaço adequado, sempre que possível; prefira estacionar em locais iluminados e movimentados, não deixe objectos à vista, prefira lugares nas extremidades das filas, sempre que estiverem livres. Deste modo também evita danificar outro veículo. E ter um amuleto como uma ferradura, mal também não faz!!

27
Mar19

Fazer uma; duas ou três?

jl

sorriso.jpegOlá.

Que estejam bem aí desse lado. Hoje venho trazer aqui uma dúvida.

Quantos devem ser por dia? Uma; duas ou três por dia? Quanto a vocês não sei, mas eu sou da opinião que três por dia é o aconselhável. E nada de pensamentos pecaminosos, o que estou a falar é de lavar os dentinhos.

E venho aqui falar disto, porque aqui há uns dias ouvi falar que os dentistas apontavam que se deve lavar a dentuça três vezes por dia para reduzir a probabilidade de formação da placa bacteriana, mas ao que parece uma vez pode chegar.

As escovações é a melhor forma de manter a saúde, prevenir e reduzir a placa bacteriana, a remineralização dentária, as cáries, a halitose, as doenças bucais e as periodontais, mas segundo os profissionais do sector a lavagem três vezes por dia, com uma escovagem de cerca de dois minutos e onde também se lava a língua é o ideal.

Apesar desta opinião, há profissionais que afirmam que lavar bem os dentes apenas uma vez por dia é suficiente. E há de facto uma certa verdade nisso.

Mas depende também da qualidade da lavagem. É como tudo na vida. Mais vale uma vez com qualidade e bem feita, do que três a fazer de conta. E atenção que estou a falar de lavar os dentes.

 

26
Mar19

Cuidados a ter!!

jl

alimentação saudavel.jpgBoas.

Daqui a pouco mais de um mês está aí a Páscoa e para além do aspecto religioso, isto é uma festa que em bom Português quer dizer encher o bandulho. Ou vai ser o pão-de-ló; ou o cabrito assado; ou os ovos de chocolate…

E sinceramente acho que para além de todos os cuidados que se tenha, acho que as pessoas também devem ter prazeres na vida. Com cuidado, mas com prazer! Mas se os períodos de festa são para isso mesmo, para festejar, todo o resto do ano é para se ter controlo e manter regras. E por isso mesmo, deixo aqui algumas regras que se devem ter:

– Tomar sempre o pequeno-almoço. Sempre se ouviu dizer que esta refeição é muito importante para iniciar o dia e influencia a capacidade de raciocínio. Por isso mesmo, devemos incluir alimentos do grupo dos cereais e derivados, do grupo dos laticínios bem como do grupo da fruta. As fontes de cereais (pão, bolachas, tostas ou cereais de pequeno-almoço) devem ser preferencialmente de cor escura, por serem mais ricos em fibras, vitaminas e minerais. Os laticínios são ricos em proteínas de alto valor biológico e a fruta confere vitaminas, minerais e fibras importantes ao nosso organismo.

– Fazer cinco a seis refeições por dia e sem saltar nenhuma delas. É importante não estar mais do que três horas sem comer. Planear as refeições com antecedência ajuda não só a evitar erros alimentares, como também a respeitar os intervalos aconselhados.

– Consumir alimentos variados. Saber o tipo, a quantidade e como combinar os alimentos de todos os grupos necessários para planear as refeições. Variar é muito importante para não se criar monotonia.

– Iniciar as refeições principais sempre com sopa. É um alimento rico em fibra que aumenta a saciedade, controla o apetite, controla os níveis de colesterol e glicemia sanguíneos e melhora o trânsito intestinal. E económica!

– É importante aumentar o consumo de alimentos ricos em fibra. Optar por estes alimentos, como os cereais integrais, frutos, leguminosas, produtos hortícolas, hortícolas. Consumir 3 a 5 porções de fruta e 3 a 5 porções de hortícolas por dia (ex. comer 3 peças de fruta por dia mais 2 porções de hortícolas).

– Cuidado ao consumir gorduras. Preferir óleos vegetais insaturados (azeite, soja, girassol ou milho) em vez de gorduras animais ou óleos com elevado teor de gorduras saturadas (óleo de coco ou palma). Deve-se também dar preferência às carnes brancas (aves) e peixe, relativamente às carnes vermelhas. Evitar alimentos processados ou fritos e, sempre que possível, escolher leite e laticínios meio-gordos ou magros.

– Ingerir menos sal e açúcar. Cozinhar e preparar os alimentos optando por temperar com cebola, alho, tomate, pimento e ervas aromáticas. Para petiscar, preferir frutos frescos em vez de alimentos açucarados ou doces (p. exemplo, as bolachinhas ou bolos). Moderar a ingestão de refrigerantes ou sumos açucarados. O elevado consumo de sódio e baixos níveis de potássio no organismo pode causar um aumento da pressão arterial e consequente risco de doença cardíaca e acidente vascular cerebral.

– Ingerir água ao longo do dia. É recomendado pelo menos, um litro e meio a dois litros por dia, dependendo da atividade física e das condições de temperatura e humidade.

– Reduzir o consumo de álcool. Numa festa pode sempre beber um copo, mas tente sempre controlar-se.

– Avaliar o resultado de hábitos alimentares saudáveis, medindo o peso e calculando o IMC. Em caso de dúvida, fale sempre com o seu farmacêutico ou o seu médico.

25
Mar19

Assistência em viagem

jl

seguro.jpgOlá.

Aqui há uns tempos enquanto via as notícias no Jornal da Noite da SIC, vi uma peça que me chamou bastante a atenção. O mesmo falava sobre dicas de poupança no seguro automóvel. Isto estava inserido numa parte que se falava sobre poupança que é da autoria de Pedro Andersson, que para além de muitas qualidades, é um comunicador nato explicando as coisas de maneira simples e percetível para todos.

Mas falando da peça, o tema era o seguro automóvel, mas que falava sobre coberturas que as seguradoras quase que nem falam. Sendo que são empresas que são criadas com o intuito de ter lucro, não é de admirar.

E aquilo que se falava mais em concreto era a assistência em viagem.

O caso que era falado era de um cidadão português, que ao passar férias em Andorra se tinha sentido mal e tinha sido transportado ao hospital onde lhe foi diagnosticado um tumor na cabeça. E a situação sendo grave, só não foi tanto porque a esposa do senhor percebia de seguros. É que o carro do senhor tinha ficado em Portugal, mas a assistência em viagem cobria as despesas. Eu sinceramente antes de ver esta peça não fazia a mínima ideia. Até porque muitas vezes uma pessoa não sabe que a assistência em viagem é para nós e não só para a viatura.

Mas esta cobertura de despesas médicas, alojamento e bilhetes de viagem em caso de acidente ou doença só pode ser usada quando se está no estrangeiro. Mas pode acontecer a qualquer um de nós ou a um familiar nosso. Também inclui os filhos ou os pais, se viverem consigo.

Havendo uma situação que o azar nos bata à porta no estrangeiro, o seguro pode pagar, se a cobertura for accionada e muitas vezes pagar mais 5 euros no seguro pode fazer muita diferença.

Quando se contrata um seguro automóvel, ele tem sempre incluída a assistência em viagem. E para se poupar mais uns cêntimos, muitas vezes é escolhido o mais barato, mas o valor que o seguro pagará no caso de o accionar poderá ser muito baixo, ou mesmo nenhum. Há seguros em versão Light que a cobertura se aplica no nosso país. E todos sabemos que os seguros só olham para um lado.

E se pagamos, convém que saibamos o que podemos usar se precisarmos. Convém ler bem os documentos que temos em nossa posse.

Se por acaso não tiver estas coberturas, pense bem da próxima vez que for fazer o seguro. Por vezes cinco ou dez euros compensam muito no futuro até porque há outras situações igualmente graves que podem ser cobertas pelo seguro de assistência em viagem. Se estiver no estrangeiro e morrer um familiar seu, o seguro do carro pode pagar a viagem de avião de regresso. Ou se tiver um incêndio ou uma inundação em casa enquanto está no estrangeiro, o seguro pode pagar a sua viagem de regresso.

Mas há uma regra muito importante de que não podemos esquecer. Tem de ligar logo para o seu seguro. Não podemos apresentar as despesas depois. A excepção que existe é se estiver inconsciente. Deve-se contactar a seguradora o mais depressa possível, para ser ela a tratar de tudo. Se apresentar as despesas depois, quando chegar a Portugal, a seguradora não vai aceitar. E assim ficará com o prejuízo.

Todos nós facilitamos e não nos lembramos disto, mas que isto não fique no esquecimento faça uma listagem de todos os seus seguros e as respetivas coberturas. E tenha sempre uma foto do número das suas apólices no seu telemóvel e guardadas no seu e-mail. Gasta dez minutos a fazer isto, mas poderá valer-lhe centenas de euros.

Nunca tenha vergonha em colocar as suas dúvidas ao seu mediador. Se uma pessoa paga um serviço é para que o mesmo o sirva.

24
Mar19

Prazos em vigor

jl

dividas.jpgBoas.

Já uma vez escrevi aqui um artigo que falava sobre os prazos de prescrição de dívidas. Mas como existem sempre mudanças neste sector, aqui venho falar novamente desta matéria.

Se por acaso tiver uma dívida, mas o seu credor não a exigir durante um determinado prazo, a lei vigente entende que o credor perdeu o interesse em exercer o seu direito de cobrar a dívida, o qual prescreveu e por isso mesmo não terá que pagar.

A prescrição é um instituto jurídico que diz que a extinção de um direito quando este não é exercido por determinado tempo. em termos mais simples, se tiver uma dívida, mas se o credor não a exigir durante um determinado prazo, a lei vigente entende que o credor perdeu o interesse em exercer o seu direito de cobrar a dívida, sendo que por isso mesmo, ela prescreveu.

Mas tenha em atenção que isto não quer dizer que o devedor que, em virtude de um qualquer acto jurídico, tenha assumido uma dívida na sua esfera jurídica, não esteja obrigado a cumprir a sua obrigação –  porque está. E o não pagar, poderá não ser a melhor opcção porque, por exemplo, o prestador de um serviço pode recusar-se a contratar novos serviços que possam estar associados ao número de identificação fiscal que apresenta valores em dívida.

Se, após a prescrição do direito de exigir um pagamento, alguma entidade lhe intentar uma acção para o pagamento, conteste sempre alegando a inexibilidade do cumprimento de pagamento da sua dívida porque aquele direito prescreveu.

No entanto, consoante o acto jurídico que esteja subjacente à origem da dívida, o prazo difere. É certo que o Código Civil estabelece um prazo ordinário de 20 anos para a prescrição poder ser invocado pelo devedor, mas há uma série de situações que têm um prazo de prescrição bem mais curto. Aqui vão alguns deles:

Prazo de pagamento de meio ano:

Gás, água, luz, telecomunicações:  O pagamento destes serviços essenciais tem que ser exigido no prazo de seis meses.

Tenha atenção, que as facturas de telecomunicações a partir de Maio terão que dizer qual a data em que termina o período de fidelização e como contestar os valores facturados.

Bebidas e alojamento:   O prazo de prescrição dos créditos de estabelecimentos de alojamento, comidas ou bebidas, que tenham origem no alojamento, no consumo de comidas ou bebidas por aqueles fornecidas, é de seis meses.

Prazo de dois anos:

Educação: se estas dívidas forem de estudantes ou se tratar de créditos de estabelecimentos de ensino, educação, assistência ou tratamento, que tenham origem na prestação dos respectivos serviços, nestes casos, a prescrição é de dois anos. Mas se as dívidas forem relativas às propinas devidas pela frequência do ensino público universitário são tributos/taxas devidas pela prestação concreta do serviço público de ensino universitário, sendo-lhes aplicável as regras de prescrição previstas na Lei Geral Tributária, nomeadamente o prazo que é de oito anos, bem como as causas interruptivas e suspensivas.

Produtos: Tal como é de dois anos a prescrição dos créditos dos comerciantes pelos objectos vendidos a quem não seja comerciante ou os não destine ao seu comércio. Mas há coisas como os iphones, que tentam fugir a este prazo.

Advogados: Os serviços prestados no exercício de profissões liberais e o reembolso das despesas correspondentes prescrevem decorridos dois anos. E se não os pagar, dificilmente arranja um advogado que o defenda.

Prazo de 3 anos:

Dividas de saúde: As dividas a uma instituição publica de saúde prescrevem decorridos 3 anos. Mas, no caso de instituições e serviços médicos particulares, o prazo de prescrição é de dois anos. Não me considero muito burro, mas esta diferença que existe entre público e privado deixa-me pensativo.

Prazo de 4 anos:

Imposto Único de Circulação: O Fisco tem até quatro anos para cobrar o imposto (se estiver em atraso) e aplicar a coima. Guarde os comprovativos de pagamento durante, pelo menos, quatro anos, porque senão pode ter o azar de ter que pagar novamente. E nisto, sei do que falo!

Prazo de 5 anos:

Rendas e condomínio: as anuidades de rendas perpétuas ou vitalícias; as rendas e alugueres devidos pelo locatário, ainda que pagos por uma só vez;

Juros os juros convencionais ou legais, ainda que ilíquidos, e os dividendos das sociedades;

Capital e juros: As quotas de amortização do capital pagável com os juros; por exemplo, O Tribunal da Relação de Évora decidiu que as prestações de um empréstimo, que envolvam o pagamento conjunto de juros e capital amortizável com juros, prescrevem no prazo de apenas cinco anos. Acórdão do Tribunal da Relação de Évora, proferido no processo n.º 1583/14.3TBSTB-A.E1, de 21 de janeiro de 2016 Código Civil, artigo 310.º alínea e)

Pensões de alimentos e outras prestações: as pensões alimentícias vencidas e quaisquer outras prestações periodicamente renováveis.

Prazo de 20 Anos:

O prazo normal, denominado pela lei de prazo ordinário, da prescrição é de vinte anos, o que significa que quando alguém tem um crédito sobre outrem, tal crédito só se extingue, se entretanto não for pago, decorridos que sejam vinte anos, sendo que, normalmente, este prazo começa a contar-se da data em que o direito pode ser exercido. Mas com a «rapidez» dos nossos tribunais, por vezes o prazo não é assim tão longo.

Acima de tudo temos que estar atentos e guardar os papeis é sempre bom. Pelo menos num prazo razoável, que no meu caso pessoal é de cerca de cinco anos.

23
Mar19

Reiniciar o seu amigo telemóvel

jl

TELELE.jpgBoas.

Hoje venho aqui falar do meu telele. O mesmo coitadito já tem uns anos e ou me engano muito, ou ele parece está prestes a entregar a alma ao criador. E a verdade seja dita, ele já muito tem durado porque há uns tempos a força da gravidade levou-o ao chão e então o ecrã agora está um bocadito diferente porque está, digamos, um bocadito partido! E talvez devido a isso o mesmo, ele fica como o meu clube quando defronta o Liverpool e fica paralisado.

E o que fazer quando isso acontece? Pois bem, quando isso acontece devemos reiniciar o telefone.

O que fazer se o nosso telemóvel for um Android

Hoje em dia quase todos os aparelhos que estão aí à venda não têm bateria removível. Essa era a maneira mais simples de reiniciar um telemóvel, quando os mesmos eram quase só para telefonar, já que bastava remover a bateria e dava para fazer o «milagre». Mas hoje em dia, essa é cada vez menos uma opcção viável até porque peças como essas estão quase em museus. Mas no sistema Android, há várias combinações de botões físicos que podem permitir reiniciar o telefone. Como há marcas e modelos diferentes com esse sistema operativo, o melhor é ir tentando as combinações. Estes são alguns dos exemplos:

- Pressione e segure o botão de ligar o telefone até 30 segundos.

- Pressione e segure os botões de ligar e de volume ao mesmo tempo por alguns segundos.

- Pressione e segure os botões de ligar e de volume (para aumentar ou o botão de reduzir o som) ao mesmo tempo por alguns segundos.

Devemos tentar estas combinações na ordem certa e, na maioria dos casos, vai dar resultado. Ou seja, o telefone vai reiniciar ou, eventualmente, desligar por completo, sendo que depois pode voltar a ligar.

Mas se for dono de um iPhone X o que deve fazer?

- Pressione e segure o botão que liga o telefone (do lado direito) e qualquer um dos botões de volume até que o botão de reset apareça no ecrã.

- Arraste o botão para desligar o iPhone;

- Depois do iPhone se desligar, pressione o botão lateral novamente até o logótipo da Apple aparecer.

Reiniciar um iPhone 8 ou anterior

No caso de ter um iPhone mais antigo, como o iPhone 8 ou anterior, deve seguir o seguinte procedimento:

- Pressione e segure o botão superior (ou lateral) até que o botão de reinicialização apareça no ecrã.

- Arraste o botão para desligar o iPhone

- Depois do iPhone desligar, pressione o botão superior novamente até que o logótipo da Apple apareça. Se o telefone não reagir na mesma, carregue nos dois botões durante vários segundos, até ele voltar a reiniciar.

Se depois disto o telefone não der mais nada, olhe tente arranjar um balde bonito para deitar o seu aparelho ao lixo. Mas falando mais a sério, isto pode acontecer a qualquer altura e por isso mesmo tenha sempre guardado os seus dados (números; imagens; vídeos…) noutro lado.

22
Mar19

50% não é igual a 100%

jl

comidamá.jpgBoas.

Que estejam todos bem. Daqui a umas horitas está na hora do jantar. E hoje sinceramente era para comer umas salsichas, mas depois de ler um artigo acho que perdi um bocadito o apetite por este alimento. Já sabia que este não era daqueles alimentos mais saudáveis, mas mesmo assim fiquei um bocadito agoniado. E conforme se falava das salsichas também se falava das delícias do mar, sendo que algumas, do mar só terão mesmo o nome. Mas de seguida aqui deixo uma descrição dos referidos produtos:

Delícias do mar

O nome delicias do mar é o nome ocidental de um produto fabricado a partir de surimi, que é uma pasta de peixe branco que contém aromatizantes e corantes para simular o sabor do caranguejo. Mas soa melhor como surimi!!

Pois, simular, porque ao preço que isto é vendido de caranguejo, só tem o nome! Mas não é só! Este é um preparado de uma mistura das sobras de diferentes peixes que pode ser cavala, bacalhau ou pescada. A mistura é lavada várias vezes e passada através de uma máquina que aquece e arrefece a mistura, até se transformar numa espécie de gel, ao qual é depois adicionado amido, aromatizantes, clara de ovo, sal, açúcar, conservantes e corantes, e mais uma longa lista de ingredientes menores que nem é bom imaginar. Contas feitas, as melhoras delícias vendidas no mercado tem cerca de 50% de peixe. Sim metade do que está a comer, é tudo menos peixe!!

Salsichas

O processo é semelhante ao das delicias, mas na versão de chicha. Este produto é feito das partes menos nobres de vários animais, principalmente, bovinos, suínos, frango e perú. Para se poder aproveitar a proteína animal ao máximo, utilizam-se, usualmente, as aparas e sobras dos cortes tradicionais, mais as regiões pouco valorizadas do animal (como o coração, tendões, bochechas), os miúdos comestíveis, a carne que fica junto ao osso e, por fim, a gordura. Para além disto, a salsicha apresenta uns ingredientes chamados de exteriores (amidos, gomas, e proteínas de soja), que servem para ligar a carne com a gordura. Depois, ainda são adicionadas outras coisas como sal, especiarias, conservantes e corantes. Tudo isto é cozido e como por magia, temos um produto que apresenta cerca de 50% de carne!!

Será que o empréstimo que tenho no banco pode ser pago 50% a dinheiro e outra metade em porcarias?

Pág. 1/4

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D