Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

marianagugudada

A vida não é feita por parcelas, é feita pelo todo

A vida não é feita por parcelas, é feita pelo todo

marianagugudada

28
Fev21

A crise não está aí. A crise vem aí.

jl

crise.jpgOlá.

Hoje em dia quando se vê qualquer peça noticiosa está o Covid e com o desagravamento da doença a crise é uma das palavras mais faladas. Basta ver ou ler qualquer coisa para se ver que toda a gente diz que isto está uma crise tramada e que a recuperação irá ocorrer mas que demorará muitos anos. Eu em parte até concordo, mas por outro lado acho que as pessoas só estão a ver o topo da montanha. E digo isto porque daquilo que vou vendo por aí existem pessoas que esperam que quando o confinamento acabar e a normalidade voltar à nossa sociedade tudo voltará a ser como dantes. Mas basta ver o que vai acontecendo por aí e parece que as coisas ficarão negras por uns tempos. Quando acabarem as moratórias dos bancos, muitas famílias ou ficarão entupidas até à garganta ou perderão a sua casa. E quem diz isto diz o resto dos créditos, ou o do carro ou o pessoal. Hoje em dia o Estado está a dar apoios a muita gente. Muito pouco, dirão alguns. Até posso concordar, mas quando isso acabar como será? Outra vertente que verá o seu lado negativo será o mercado de trabalho especialmente a restauração e a hotelaria. Não nos podemos esquecer que até ao inicio do ano passado, Portugal mais parece uma EuroDisney do que um país normal. Bastava andar no meio de qualquer cidade para se ver que o português era uma língua pouco falada, mas o que muita gente se esquecia que o Turismo é um bocado de modas. E isto do Covid ninguém poderia prever, mas isto estava a chegar a um ponto em que o Turismo estava a chegar a um ponto quase de fora de controlo. Basta ir à Ribeira do Porto para se ver que habitantes locais estão a desaparecer.

Quando um japonês ou um brasileiro vai visitar este local quer ver o quê?

E depois temos os cafés, bares e restaurantes que nasceram como cogumelos e que agora muitos deles só se manterão abertos quase por milagre.

 Mas para além desses sectores, existirão muitos que serão arrastados para terrenos mais pantanosos. Um deles será o sector do imobiliário. Se até aqui de cada pedra que se levantava na calçada existia uma imobiliária e mais uma casa para vender, agora as coisas de certeza que irão abrandar. Este é um dos sectores que quer as autoridades nacionais, quer as locais terão que mais cedo ou mais tarde tomar medidas, porque não se compreende estar a fazer prédios e prédios novos, quando muitas vezes (e mesmo nos centros das cidades) estarem centenas de prédios em ruinas. E isto também interfere com o turismo, porque ter um centro de uma cidade muito bonito e terão lado um prédio que a qualquer momento pode cair em cima de alguém é algo que não lembra ao Diabo.

E hoje nem falo das dezenas e dezenas de pessoas que todos os dias estão a encher os quadros dos Centros de Emprego.

Eu sinceramente espero estar enganado, mas vamos ver o que o futuro nos trará!

27
Fev21

Quem se lixa é o mexilhão

jl

groundmexilhão.jpgBoas.

Uma das notícias que esta semana que passou se ouviu foi a da empresa Grounforce que presta assistência nos aeroportos nacionais não conseguir pagar os salários do Mês de Fevereiro. Esta notícia embora sendo muito má quase que passou entre os pingos da chuva. E isto é numa empresa que emprega quase 2400 funcionários. Quem pagava os salários desta empresa era a TAP, a qual é dona de 49,9% do capital, sendo que o restante é da empresa Urbanos e da Portugália.

Como se sabe o número de voos que estão nos nossos aeroportos é quase irrisório do que acontecia antes desta pandemia.

A administração diz que está preocupada, mas espera que a situação seja desbloqueada no prazo de 15 dias, até porque se vai entrar em negociações com entidades bancárias para ter um empréstimo para se pagar estes ordenados. Claro que já se sabe que não havendo cumprimento por parte da empresa, quem irá pagar vai ser o Zé Povinho.

Eu compreendo perfeitamente que em tempos anómalos como este que hoje nos vai fazendo sombra as tesourarias das empresas sofram muito e que temos que ser solidários, mas o que eu não compreendo muito bem é que nos anos em que estas empresas dão lucro o dinheiro pura e simplesmente evapore.

Em 2016 esta empresa teve cerca de 2 milhões de euros de resultados positivos.

No ano de 2017, o valor passou os 8,5 milhões de euros.

E em 2018, o lucro ficou pelos 6 milhões de euros.

Como acho que o mágico Luís de Matos não passou por esta empresa, para onde raio foi este dinheiro?

É que se nas alturas negativas for o nosso bolso a subsidiar as empresas, acho que um dia destes vou virar empresário ligado ao Estado. Como o outro dizia, mais mal é do mexilhão e neste caso o marisco somos nós contribuintes e os funcionários que ficam numa situação complicada.

26
Fev21

Que negócio é este?

jl

euros e futebol.jpgBoas.

Hoje vou escrever aqui sobre um clube de futebol que é a Juventus, mas a verdade seja dita poderia aplicar a dezenas e dezenas de clubes e em inúmeros países.

Mas voltando ao que estava a falar, este clube italiano teve um prejuízo de 113 milhões de euros. E se este valor é algo de assustador, pior ainda se torna quando este valor astronómico se refere só ao segundo semestre de 2020.

Eu sinceramente ainda não percebi bem qual é o papel de quem tutela os clubes e neste caso é a UEFA. Ter prejuízo uma vez pode acontecer a qualquer um, mas acontecer isto sistematicamente é algo que faz as pessoas começarem a torcer o nariz a isto tudo e a começarem a ficar descrentes. Já no mesmo período do ano passado a Juventus já tinha tido um prejuízo de 50 milhões de euros, mas agora duplicou essa verba.

E agora que vem a segunda mão da Liga dos Campeões isso representará muito para os cofres do Dragão, mas para os cofres da Vecchia Signora pelos vistos também será muito importante.

Eu sei que esta último ano é muito especial por causa da pandemia e isso afectou muito toda a gente, mas será que os Bancos vão perdoar as dívidas das famílias por causa disso?

O meu clube que é o F.C.Porto também não é exemplo nesta vertente, mas as autoridades quer internacionais, quer locais, têm que começar a ter autoridade sobre isto, porque os clubes de futebol por mais populares que sejam não são mais que um simples cidadão.

Quando vejo países como a Alemanha, em que um clube como o Kaiserslautern que já foi campeão por quatro vezes (a última vez no ano de 1998) declara falência por uma dívida de 24 milhões de euros, está tudo dito no que diz respeito aos países do Primeiro Mundo e os restantes.

 

25
Fev21

Será que por alguns isto era a Hispânia?

jl

hispania.jpgBoas.

Hoje venho aqui falar do senhor deputado do Partido Socialista Ascenso Simões, o qual referiu num artigo de opinião no jornal Público, que tal como os florões na Praça do Império, também o Padrão dos Descobrimentos poderia ser demolido, sendo que que em Portugal o Salazarismo não morreu.

Esta situação teve origem no voto contra do Sr. Ascenso Simões no pesar pelo tenente-coronel Marcelino da Mata aprovado no Parlamento. Como se sabe este foi um militar que combateu na Guerra Colonial, o qual foi apelidado por uns de herói e, por outros, de criminoso de guerra.

Vivendo nós numa democracia, devemos respeitar sempre a opinião dos outros, mas o que este senhor defende é algo que deixa a maioria de nós embasbacados. Seguindo a filosofia deste senhor o que aconteceria com a ponte 25 de Abril (e aí só se mudou o anterior nome), do Aeroporto de Lisboa, do Metropolitano de Lisboa, do Instituto de Oncologia, do Hospital de S. João, da Ponte da Arrábida, e por aí fora? Ia tudo abaixo? Eu não nenhum doutorado mas às vezes leio certas coisas que se não fossem tão sérias seriam quase uma anedota.

As pessoas discordarem de ideias é uma coisa, mas existem situações que no mínimo é preciso bom senso e nisto não interessa se gostamos mais ou menos de alguém que foi um ditador, mas sim de alguém que pensa que por se apagar as coisas da nossa História elas irão desaparecer por magia.

O que pensará este senhor deputado do nosso primeiro rei?

24
Fev21

Pimenta no c* dos outros…

jl

rabo de peixe.jpgBoas.

Basta ver as notícias, para se ver que em vários locais, a voz da contestação relativamente ao confinamento por causa do Covid tem aumentado cada vez mais. E quando isso se passa no estrangeiro é só mais uma notícia com que se olha com curiosidade seja na televisão ou nos jornais. Mas quando isso se passa aqui ao nosso lado já se começa a olhar com mais atenção e é precisamente isso que agora se passa com a contestação a ocorrer nos Açores, mais concretamente em Rabo de Peixe, que como se sabe é um local que está com uma cerca sanitária.

E quando o Governo dos Açores solicita um reforço de policiamento nesse local então aí a preocupação aumenta.

Neste pequeno local estão 42 casos, dos 63 casos activos nos Açores.

Eu sei que a melhoria da situação depende e muito do comportamento da sociedade onde se colocam normas mais severas, mas por outro lado também tem que se compreender o desespero que começa a tomar conta das pessoas.

Eu sei que as autoridades, os especialistas ou os políticos dizem que só o comportamento assertivo é que fará com que a situação melhore, mas também compreendo as pessoas que estando confinadas têm que comer e tem famílias para sustentar. E quem está numa situação de desespero não vai lá só com palavras.

Sei perfeitamente que esta situação é muito grave e que esta pandemia já provocou quase 2.500.000 mortos a nível mundial, resultantes de mais de 110 milhões de casos de infecção e que em Portugal já morreram mais de 16.100 pessoas, mas que se as pessoas não tiverem apoios a contestação irá aumentar e muito.

A minha falecida avó já dizia que pimenta no cú dos outros, para mim é refresco e esta situação é um desses casos.

23
Fev21

Não pagas 100 € és caloteiro, não pagas 1 Milhão és…

jl

psg.jpgBoas.

Hoje li uma peça que se por um lado me deixou admirado, por outro veio ao encontro da ideia generalizada que hoje existe que diz a larga maioria dos clubes de futebol mundiais, se fosse famílias já tinham falido há muito tempo.

Basta ver o que se passa aqui em Portugal para facilmente ver que por aqui toda a gente (salvo raríssimas excepções) tem mais olhos que barriga. Habitualmente os clubes do futebol por muitas dívidas que tenham, dizem sempre que os activos (entenda-se jogadores) que estão nas suas equipas valem muito mais que as dividas que estão nos seus clubes. Em parte até podem estar certos, mas os clubes podem ter esse valor em jogadores, mas se não existirem interessados em «comprar» estes activos, isso vale o quê?

Mas hoje em dia este mercado levou uma volta com a entrada dos senhores do Médio Oriente (depois de isto ter acontecido com os senhores milionários do Leste da Europa) onde supostamente essa riqueza advém da exploração petrolífera.

Mas cada um faz com o seu dinheiro aquilo que quer, mas que deixa qualquer um intrigado, existirem magnatas que estão dispostos a perder milhões de euros ou dólares nestas actividades, lá isso é verdade.

Um dos expoentes máximos desta matéria é o Paris Saint-Germain, onde o seu dono Nasser Al-Ghanim Khelaïfi (Nasser para os amigos) desde que comprou o clube em 2011, só gastou assim por alto mais de 1300 milhões de euros em contratações, sendo que basta lembrar de jogadores como Neymar, Mbappé, Di Maria, Cavani, David Luiz, ou Thiago Silva para se ver que o dinheiro brota como cogumelos. Estes e outros investimentos fizeram que o clube tenha ganho sete campeonatos, seis Taças da Liga e cinco Taças de França. Por outro lado a cereja no topo do bolo que é a Liga dos Campeões é um redondo zero.

Ouvir falar nos valores astronómicos que este clube gasta, faz com que nos sintamos mais pobres, mas o que me deixa de boca aberta é que este clube foi agora condenado a pagar uma multa de 700.000 euros por atrasos no pagamento de facturas aos seus fornecedores no ano de 2018, no período de Janeiro a Junho.

Eu também gostaria de comprar um carro novo em vez de andar com um calhambeque de mil novecentos  e troca o passo, mas o problema é que se o comprar tenho que o pagar, mas os clubes do futebol não se lembram (ou não se querem lembrar) destes factos.

Mas a culpa não é deles, mas sim de quem os deixou chegar a este ponto e isso vai desde as autoridades nacionais até às internacionais.

22
Fev21

Malhar no óbvio

jl

clubes.jpgOlá.

Hoje à noite vai jogar o meu clube e espero que ganhe. Mas se isso não acontecer, não será isso que me irá tirar o sono. E digo isto porque ao que se vai vendo por aí o futebol jogado quase que não é falado. Os três jornais desportivos (se não é caso único no Mundo não andará muito longe, ter 3 diários para um país com esta dimensão) um dia destes poderão deixar de trazer notícias relativas ao jogo em si e trazer só os casos de arbitragem (que dão para horas e horas de discussão), dos casos de dirigentes que ameaçam este e aquele ou de casos e casinhos.

Hoje está na berlinda a crise que está latente no Benfica e o caminho que o Sporting leva para se sagrar campeão. Eu gostaria imenso que o Porto fosse campeão, mas sei que só em casos extremos estilo Coreia do Norte é que ganha sempre o mesmo e isso é que me deixa meio intrigado. Quanto mais formação existe na sociedade, parece que a educação está a desaparecer. E conforme está a acontecer no futebol, parece que isto se está a espalhar em todas as matérias. Seja no futebol, no emprego, na vida particular e por aí fora temos que saber ver tudo aquilo que possamos melhorar, mas mesmo assim temos que ver tudo pela maneira positiva e não estar constantemente a bater na mesma tecla.

21
Fev21

A batata que faz mal, mas que se come

jl

Batata-Frita.jpgOlá.

Hoje enquanto estava a pensar no que deveria escrever comecei a ouvir as notícias que nos chegavam do lado de lá da fronteira. Em causa estavam os protestos contra a prisão do rapper Pablo Hasél. Em causa estão canções que colocam em causa o poder instituído especialmente no que diz respeito à Monarquia.

Sinceramente não sei quem tem razão, mas ao ver que centenas de pessoas marcham em ruas e começam a vandalizar e a assaltar lojas de marcas internacionais deixa-me sempre com a pulga atrás da orelha. Eu sei que muitos desses manifestantes dizem que são contra o poder instituído e que querem mudar as coisas, mas ao destruir e a roubarem estes locais, basicamente destroem o ganha-pão de muitas centenas de funcionários que são tão espanhóis ou mais que eles. Eu sei que lidar com estas situações nem sempre é fácil, mas se as autoridades locais não colocam travão no inicio de uma crise destas, isto poderá levar a situações quase incontroláveis.

Nós enquanto portugueses estamos habituados a uma terra de paz e sossego (em relação ao que se vê lá fora), mas temo que um dia destes esta semente do mal possa vir para terras lusas e aí veremos a força com que as nossas policias e politicas conseguem lidar com isso, até porque se existir uma reacção fraca ou passiva isso poderá dar força a partidos como o Chega. E a verdade seja dita é que este partido faz-me lembrar as batatas fritas. Toda a gente diz que faz mal, que não come, mas chega ao fim e toda a gente tem a batata no canto da boca.

E se até aqui o pacote estava quase vazio, o mais cero é que este vá enchendo cada vez mais.

20
Fev21

Existem comportamentos que dizem muito

jl

trofa saude.jpgOlá.

Hoje vem nos jornais uma notícia de uma senhora que aparentemente caiu no hospital Trofa Saúde de Valongo e viu serem-lhe exigidos 300 euros para a socorrer.

Depois de saberem que a mulher não teria seguro, chamaram o marido que estava à espera fora do hospital, sendo que depois disto, a senhora teve de ir para o Hospital de S. João, Porto, para ser tratada. Ficou com lesões graves na cara, pernas e com um braço partido.

Segundo o que a senhora disse à comunicação social que chamaram o marido que estava à espera fora do hospital e explicaram que ou pagava ou teria de chamar uma ambulância.

Legalmente esta instituição até poderá ter razão, mas esta atitude é um pouco baixa e isso é que custa a não ouvir. Eu sei que ou jornais ou televisões dependem e muito da publicidade, mas este tipo de comportamento é mau demais para passar incólume.

Eu sei que isto é um negócio e como negócio é para dar lucro, mas existem maneiras de fazer as coisas e às vezes a publicidade negativa é bem pior do que as atitudes que se tomam.

18
Fev21

O sucesso depende de todos

jl

sucesso.jpgBoas.

Eu sinto-me quase como numa capsula do tempo. Digo isto porque ao ver os noticiários e para além da palavra Covid, uma expressão que agora ouço muito é a recuperação. Ou porque a indústria tem que recuperar, ou porque o Turismo está no abismo e temos que recuperar, ou porque a restauração está toda perto da falência e isto tem que recuperar, ou porque na saúde as listas de espera quer para consultas, quer para cirurgias está a chegar a um ponto de estrangulamento e temos que recuperar, ou porque as crianças e os jovens estão a perder um tempo de escola presencial e por isso temos que recuperar e continua a lista por todas as áreas da nossa vida. E estou de pleno acordo com tudo isto, mas existe ainda um «pequeno» problema. É que esta pandemia mesmo estando com números não tão maus, ainda está a provocar mais de 100 mortos por dia e mais de 2000 infecções.

E nisto a culpa é de nós todos enquanto sociedade, já que após um primeiro cheiro de recuperação, fomos todos ou para os centros comerciais, ou para a praia ou andamos em casa da família e o que é que aconteceu? Pois, os números que todos nós conhecemos e lamentamos.

E depois temos as noticias que Portugal desde o inicio da Pandemis perdeu mais de 800 médicos do Serviço Nacional de Saúde ou que a Alemanha e a França estão a ficar com a pulga atrás da orelha com a vacina da AstraZeneca devido aos efeitos secundários. Por curiosidade esta é a vacina que Portugal mais comprou!

De uma vez por todas temos que deixar de ser piegas e seja confinados ou não, temos que fazer com que esta fase seja de sucesso para todos. É pior estar confinado em casa com tudo à mão, ou estar livre como um passarinho numa cama de uma Unidade de Cuidados Intensivos?

Pág. 1/3

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2017
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2016
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2015
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub