Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

marianagugudada

A vida não é feita por parcelas, é feita pelo todo

A vida não é feita por parcelas, é feita pelo todo

marianagugudada

17
Mai18

Deixar de fumar = cuidado com o que se come

jl

deixar-de-fumar.pngBoas.

Há mais de uma dúzia de anos que o vício de fumar acabou. Sinceramente nunca fui grande fumador, mas uma coisa que notei e que pelos vistos é um mal geral é que a barriguita cresce mais um pouco. E hoje vi um artigo que falava precisamente sobre isso. Cá vai então:

9 truques para evitar a barriga cresça. Claro que às senhoras que pretendam engravidar não é aplicada esta frase.

O desafio de deixar de fumar já é suficientemente difícil para que tenhamos que lidar com efeitos secundários. No entanto, eles são reais e embora não sejam tão prejudiciais quanto o tabaco, é preciso ter atenção aos possíveis problemas que o fim do vício pode trazer. Um dos efeitos mais imediatos é um aumento do apetite e, consequentemente, o aumento dos números na balança.

Segundo os nutricionistas, quando se deixa de fumar, muitas pessoas tendem a comer mais e por consequência, a aumentar o peso. De facto, a média de ganho de peso após a cessação tabágica é de cinco quilos após um ano e a justificação é simples.

“O tabaco altera o paladar e olfacto e comer torna-se muito mais prazeroso, por isso tendemos a comer mais e, sobretudo, alimentos ricos em gordura e açúcar. Não só porque estes alimentos passam a saber melhor mas também porque ativam no nosso cérebro o mecanismo de recompensa e conferem uma sensação de prazer imediato. E assim é colmatada a falta da nicotina. Vai-se a nicotina e vem a barriguinha.

Antes que acenda um cigarrinho para combater essa barriguita, deixo aqui alguns conselhos:

Acrescente uma fonte de proteína logo pela manhã. Pode começar pelos ovos. "Estudos indicam que as pessoas que comem um pequeno-almoço rico em calorias ingerem até menos 135 calorias por dia”.

Sempre que sentir vontade de comer, experimente beber primeiro um copo de água. Eu sei que está a pensar em beber muitos copos de água, mas calma que isso vai lá. Ou então não!

Troque os cereais refinados por cereais integrais, já que são mais ricos em fibra, o que contribui para um aumento da saciedade. Claro que tem que ter cuidado porque se colocar cereais integrais cheios de chocolate lá se vai o positivo.

Apostar em alimentos ricos em magnésio pode ajudar a acabar com a vontade de comer chocolates. De que alimentos falamos? É fáci: “Banana, sementes de abóbora, espinafres, sementes de sésamo e quinoa, tudo alimentos ricos neste mineral”. Claro que isto das sementes nos faz lembrar dos papagaios, mas temos que fazer sacrifícios. Piu!

Tenha sempre à mão frutos secos, já que estes são ricos em gordura e ajudam-nos a manter saciados ao longo do dia. Mas ter em atenção que não deve comer mais de 30 gramas por dia.

Palitos de vegetais também são uma boa opção para se comer entre refeições já que são ricos em água e fibra e pobres em calorias. Claro que no trabalho nem sempre isto é possível mas tente ao máximo evitar de is buscar um bolinho ou um chocolatinho para enganar o estômago.

Ovos, leite e derivados, carnes magras e peixes são alimentos que deverá comer. Mas porquê? A culpa é dos seus níveis altos de triptofano, um percursor de serotonina (neurotransmissor responsável pela sensação de prazer e bem estar).

Coma alimentos ricos em crómio (frutos secos, carne, levedura de cerveja, cereais integrais, aveia, brócolos, feijão verde, espinafre, cogumelos), já que este mineral ajuda a regularizar os níveis de açúcar no sangue. Ter em atenção à cerveja porque se beber muita, um rico crómio fica você.

Quanto à fruta, o melhor é comer com casca, sempre que possível, mas não deve ultrapassar as duas ou três peças por dia. E nada de exagerar no tamanho. Isto da casca é sempre subjectivo porque comer laranja com casca não deve ser nada agradável e já nem falo de um coco.

16
Mai18

A segurança em primeiro lugar

jl

piscina.jpgBoas.

Afinal de contas e por muitas fintas que o tempo nos fez, a Primavera sempre chegou com o tempo que nos ajuda a ficar mais alegres e também a espairecer um pouco. Enquanto que uns optam pelo verde, outros optam ou pela praia ou então pela piscina. E é precisamente nisso que venho aqui falar, mais concretamente dos nossos miúdos. Então cá vai:

Dicas de segurança junto à água e piscinas

Todos os anos, e nunca é demais, há que redobrar os cuidados quando as nossas crianças e bebés brincam junto a piscinas. Já se sabe que com o aproximar do bom tempo e dos dias mais quentes, as piscinas são uma alternativa para brincadeiras na água.

Mas nestas situações toda a atenção é pouca para que os acidentes não aconteçam.

Aqui vão algumas dicas de segurança

- Perto de água não perca as suas crianças de vista nem por um segundo já que elas parecem relâmpagos. Redobre a vigilância com as crianças mais novas ou com necessidades especiais.

- Nunca deixe uma criança especialmente com menos de 3 anos sozinha na banheira durante o banho.

- Despeje toda a água de baldes, alguidares e banheiras, logo após a utilização. Não se esqueça que em comparação, numa criança pequena a cabeça é muito mais pesada que num adulto. O que para nós um balde de água poderá ser mesmo só isso, para um bebé poderá ser trágico.

- Dificulte o acesso das crianças aos locais com água: vede as piscinas e tanques e cubra poços. Os miúdos fazem os possíveis e os impossíveis.

- Escolha praias e piscinas vigiadas e cumpra sempre a sinalização. Os adultos são acima de tudo exemplo para os miúdos.

- Coloque sempre colete salva-vidas às crianças em águas agitadas, turvas ou profundas. Mas se puder evitar a presença dos mais pequenos, faça-o.

- Coloque sempre braçadeiras às crianças em águas paradas, transparentes e pouco profundas.

- Aprenda a fazer reanimação cardio-respiratória. Esse gesto pode salvar uma vida. Por muitos poucos conhecimentos que tenhas, é sempre melhor que nada saber.

- Em caso de afogamento, ligue sem hesitação 112.

Quanto ao uso de equipamentos de segurança, como braçadeiras, é aconselhável:

- Devem ser adequadas ao peso da criança e cumprir as normas de segurança respetivas.

- Se forem insufláveis, possuir duas câmaras-de-ar independentes, de preferência em forma de anel à volta do braço.

- Serem de cores garridas.

- Em cada colocação, acabe de enchê-las já no braço para que fiquem bem ajustadas e para que a criança não as consiga retirar facilmente. E sabemos que os miúdos fazem sempre tudo!

Podem ser utilizadas quando a criança está a nadar em águas translúcidas, calmas e pouco profundas e devem ser colocadas mesmo quando a criança está a brincar perto da piscina (pode escorregar e cair).

E podemos facilitar e poupar em muita coisa, mas em equipamentos de segurança meia dúzia de euros poderão fazer toda a diferença.

15
Mai18

Dar o exemplo

jl

exemplo.pngBoas.

Hoje ao andar a cuscar na Net, deparei-me com um artigo que falava de estacionamento e que como cidadão gostei de ler. Cá vai então:

GNR lembra os condutores que “ocupar o lugar dos outros é grave”. Estacionar no lugar reservado a pessoas com deficiência constitui uma contraordenação grave. Claro que para além disso temos que nos lembrar que respeitar os outros é um acto de cidadania.

A Guarda Nacional Republicana (GNR), como é já hábito seu, utiliza a rede social Facebook para transmitir os mais variados conselhos. Numa post, esta força de segurança lembrava que ocupar o lugar dos outros era grave, ou seja, os lugares reservados a pessoas com deficiência, é uma contraordenação grave.

Tal é punido com uma coima de entre 60 a 300 euros e inibição de condução de um período de tempo que pode ir de um mês a 12 meses, além dos dois pontos que se perdem na carta de condução.

Esta é uma lei que entrou em vigor em julho do ano passado e resulta de uma proposta do Bloco de Esquerda. Na altura foi também publicado em Diário da República um decreto-lei que obriga todas as entidades públicas a terem lugares de estacionamento mínimos para pessoas com deficiência.

Claro que numa altura em que a caça ao euro parece que está aberta, o virem-nos ao bolso é tramado, mas neste ponto em concreto acho bem, mas penso que a lei será para todos! Ou não?

14
Mai18

Campeonato 2017/2018

jl

17-18.jpgBoas.

Hoje não era para vir falar de futebol mas depois de ouvir os comentários de ontem não pude resistir. Em primeiro lugar deixo aqui os parabéns ao meu clube. Quer se queira quer não, foi a equipa do Futebol Clube do Porto que melhor futebol apresentou e o título e o apuramento directo da Champions é merecidíssimo. Em segundo lugar saliento o Benfica que muitos pensavam que iria no final do pódio, mas que conseguiu assegurar o lugar da 3ª pré-eliminatória da Liga dos Campeões. Em terceiro lugar, para a desilusão do Sporting que ao perder o 2º lugar na última jornada deitou muito a perder, incluindo muitos milhões . Neste aspecto as pessoas censuram o Rui Patrício pelo frango que deu, mas já alguém se lembrou que o empate tinha exactamente o mesmo resultado prático? No quarto lugar saliento o Braga, que apesar da tranquilidade do campeonato que fez andou sempre a morder os calcanhares do terceiro lugar. Depois ainda temos equipas como o Rio Ave, o Chaves ou o Portimonense que fizeram uma prova bem tranquila.

Refiro também as equipas que desceram. O Paços de Ferreira e o Estoril deixaram a liga principal sendo que para o seu lugar virão duas equipas das ilhas, o Nacional e o Santa Clara.

Por último deixo aqui uma palavra quer para o jogador do Porto Alex Telles, quer para o Rui Vitória. No caso do defesa brasileiro do Porto, o mesmo usou um cachecol que insultava o Benfica e pediu desculpa porque o mesmo disse que não sabia o seu conteúdo. Positivo.

Quanto ao treinador de Benfica, o não dar parabéns ao seu colega Sérgio Conceição ou ao Pinto da Costa até posso compreender, mas o não dar parabéns à Instituição demonstra que Homem com H grande não é para todos, inclusivé para este senhor. Negativo.

Agora vamos para a final da Taça de Portugal no fim desta semana, para que os comentários se centrem no Campeonato do Mundo.

13
Mai18

Para quem tem pipi e pilinha

jl

sexualide.jpgBoas.

Hoje li um artigo que embora trate de um assunto quase tabu é de uma importância fundamental. O mesmo falava sobre a saúde intima. Falo por mim, mas nós homens temos a mania que sabemos de quase tudo mas quando nos abordam sobre estes temas ficamos caladinhos e envergonhados. Vamos lá então:     

5 coisinhas sobre saúde íntima que tem medo de colocar

No que se refere à saúde íntima, a imaginação não tem limites, tal como as dúvidas. Reunimos as respostas às questões que tem medo de colocar ao seu médico e que não deveria ter. A ignorância por vezes é inimiga de nós próprios.

Basta fazer uma pesquisa rápida na Internet para perceber que existe um mundo de dúvidas sobre intimidade que continuam por ser esclarecidas. Muitas pessoas consideram que este tema ainda é tabu e não se sentem confortáveis em discuti-lo com outras pessoas ou, até mesmo, com o seu médico habitual. Afinal, a intimidade é um assunto sério e não devem existir dúvidas. Fique a saber todas as respostas às questões de saúde íntima que tem medo de colocar. Burra não é aquela pessoa que não sabe, mas sim aquele que não quer saber!

Não há motivo para ter vergonha, até porque ninguém nasce ensinado ou detém todo o conhecimento do mundo. Ao contrário daquilo que pode pensar, a verdade é que muitas são as pessoas que têm diversas perguntas acerca de saúde íntima e continuam sem acesso à informação de qualidade.

A saúde íntima é influenciada por factores que vão desde a atividade sexual ao tipo de alimentação, passando pela higiene e pelos processos hormonais.

A falta de cuidados pode originar problemas graves, como infeções ou infertilidade. Talvez, agora, compreenda a importância das respostas às questões de saúde íntima que tem medo de perguntar e fique a conhecer melhor o funcionamento do seu corpo.

  1. É necessário tomar banho após a relação sexual?

Embora não tenha de o fazer imediatamente a seguir, é muito importante que trate da sua higiene íntima após as relações sexuais. Desta forma, poderá evitar infeções e outros problemas, uma vez que remove quaisquer resíduos de fluídos sexuais ou lubrificantes artificiais. Deve ainda procurar utilizar produtos adequados à higiene íntima. Claro que se for freira ou padre não tem esse problema. Ou não!

  1. Ter relações sexuais durante a menstruação é prejudicial para a saúde?

Esta é, provavelmente, uma das questões mais colocadas e que nos homens é um tabu tremendo. Desde que ambos os parceiros estejam confortáveis com a situação, não existe qualquer tipo de entrave ou motivo para preocupações.

  1. Fazer a depilação na zona íntima é errado?

A depilação não traz malefícios concretos nem benefícios, para além dos estéticos. Os pelos pubianos ajudam na proteção contra alguns vírus, fungos e bactérias, mas a verdade é que a sua ausência não é assim tão prejudicial – desde que existam cuidados de higiene. E hoje em dia o corte parece que é moda.

  1. Devemos dormir sem cuecas?

Sim, sempre que possível deve dormir sem cuecas. Este não tem de ser um hábito diário, mas é importante que o incorpore de alguma forma nas suas noites. Isto porque as cuecas impedem, por vezes, a ventilação adequada na zona genital. A existência de humidade e de uma temperatura mais elevada pode fomentar o aparecimento de infeções e inflamações. Mas às vezes pode ser perigoso e os resultados por vezes só dá para se ver passado uns meses.

  1. É necessário urinar após a relação sexual?

De certeza que já ouviu este conselho, já que é uma das dicas mais comuns, e de certeza que é uma das questões de saúde íntima que tem medo de perguntar. A resposta é: sim, deve mesmo urinar após a relação sexual, especialmente se for mulher. Este método ajuda a prevenir infeções urinárias que podem surgir quando, durante o acto sexual, as bactérias da vagina são empurradas para a uretra.

Esperando que este artigo seja de alguma utilidade

12
Mai18

Tenho uma lágrima no canto do olho

jl

chorar.jpgBoas.

As minhas férias estão a acabar e isso dá-me uma vontade de chorar tramada. Então agora que se estava bem em casa é que tem que se ir trabalhar? Até dá vontade de chorar. E por falar nisso deixo aqui uma peça. Cá vai:

Chorar é, muitas vezes, visto como um sinal de fraqueza especialmente nos homens, mas reprimir as emoções pode ter consequências negativas. Conheça os benefícios de chorar.

A capacidade de chorar é uma parte importante do ser humano. O comportamento de chorar pontua o curso da vida de todos nós, desde bebés até velhinhos, marcando os momentos mais importantes da nossa existência.

Sempre que por algum motivo mais triste choramos, há sempre alguém perto de nós que sente desconforto, não sabe o que fazer para nos ajudar e nos diz “não é preciso chorar, vais ver que isso já passa”. A verdade é que, seja na alegria ou na tristeza, quando choramos sentimos uma sensação de alívio, como se nos sentíssemos mais leves por colocar os sentimentos cá fora. Mas, afinal, quais são os benefícios de chorar?

8 benefícios de chorar que a vale a pena conhecer

Chorar é uma reação natural, que tanto pode ser expressão de tristeza, desamparo, alegria ou de uma felicidade intensa. Através de vários sentimentos, o nosso cérebro produz determinados neurotransmissores que dão as instruções às glândulas lacrimais que precisam de ser contraídas. É nessa altura que começamos, então, a chorar. Vamos, então, conhecer alguns dos benefícios de chorar.

1) As lágrimas provocadas pela emoção proporcionam uma sensação de alívio quase imediato: chorar diminui a sensação de stress, ansiedade e tensão

2) Ajuda a relaxar, deixando-nos com uma sensação de leveza: o choro estimula a produção de endorfinas, um neurotransmissor que nos provoca bem-estar

3) Conter as lágrimas quando sentimos vontade de as manifestar não é positivo, na medida em que estamos a guardar sentimentos e a ignorar as nossas emoções

4) Pode ser uma forma de nos ajudar a estabelecer e a reforçar a conexão com outras pessoas: chorar pode fortalecer as relações com as pessoas mais próximas, na medida em que estas se disponibilizam para dar apoio perante uma situação de maior tristeza

5) Confrontar os sentimentos ajuda a avançar: tentar fugir aos sentimentos ou esconder as nossas emoções não é útil; quanto mais cedo confrontarmos as situações dolorosas, mais cedo avançamos para um futuro mais feliz; fingir que os problemas não existem apenas atrasa o inevitável, portanto, se sente vontade de chorar como forma de encarar de frente os seus sentimentos não hesite e toca a descarregar essa lágrimazita

6) Ajuda a libertar toxinas: as lágrimas provocadas pelo stress ajudam o corpo a libertar-se de substâncias químicas nocivas que elevam o cortisol, o que faz com que após chorar sintamos um maior bem-estar

7) Combate as crenças negativas de que chorar é uma fragilidade: não ter medo de chorar faz de si uma pessoa mais forte. Quem disse que os homens não choram andava a enganar os outros

8) O choro pode ser essencial no processo de luto: as lágrimas ajudam-nos a processar a dor da perda e evitam a acumulação de sentimentos depressivos. Cada pessoa é um pessoa e existem aquelas que não choram através de lágrimas, mas choram igualmente nem que seja de outra maneira

Em conclusão esta característica única que o ser humano tem de chorar para expressar sentimentos e emoções não tem necessariamente que ser negativa e pode inclusive trazer algumas vantagens.

As lágrimas podem ser uma poderosa forma de comunicação, na medida em que podem servir como pedido de ajuda, como forma de criar laços, ou como forma de expressão de uma intensa emoção positiva.

11
Mai18

Que país é este?

jl

cancro.jpgBoas.

Ontem andava a fazer zapping na Net enquanto ouvia o Fórum da rádio TSF quando falavam do tema que era o Hospital de Santa Maria não ter meios para tantos doentes com cancro sendo que já havia tratamentos adiados.

Claro que a primeira vez que ouvi isto pensei que estava a alucinar, mas passados uns segundos a frase foi repetida sendo que este hospital que é um dos maiores hospitais do nosso país está sem capacidade para responder ao grande número de doentes com cancro que querem aí ser tratados, mas não pode contratar médicos.

O diretor da Oncologia desse hospital garante que o serviço que dirige não tem capacidade para responder a todos esses doentes que procuram o serviço. Uma das origens deste problema foi a hipótese, decidida pelo Governo, dos utentes escolherem onde querem ser tratados e que fez disparar a procura num hospital que nesta área é de referência no país.

Luís Costa, presidente da Associação Portuguesa de Investigação em Cancro, adiantou numa entrevista à TSF que esperava que não aconteça nada de grave e se encontrem soluções, mas estão à beira de abrir, pela primeira vez, uma lista de espera. Na sexta-feira passada foi necessário adiar tratamentos por uma semana, mesmo tendo acabado o trabalho às 21h30, quando, como sublinha, "todos os tratamentos em cancro são urgentes".

O responsável da oncologia do Santa Maria diz que é preciso encontrar soluções e acrescenta que têm tido excelentes internos nesta área que até queriam ficar a trabalhar no serviço, mas as vagas não são abertas: "Ontem despedimo-nos de mais uma...", detalha.

Depois, além da falta de médicos, até o espaço físico do serviço não chega para o crescimento abrupto de doentes.

Luís Costa adianta que é preciso pensar, planear e não apenas responder aos meios de comunicação social com medidas que parecem agradar às pessoas, mas que na prática complicam muito a capacidade de resposta dos hospitais. O médico refere-se à possibilidade, criada em 2016 pelo atual Governo, dos doentes escolherem onde querem ser tratados e admite que hoje o serviço de oncologia do Santa Maria está, em consequência, claramente, com excesso de doentes.

O médico explica que se há um espaço onde se prevê receber um certo número de doentes e este número de repente aumenta muito, "é impossível servir os doentes com qualidade mínima".

O problema preocupa o secretário-geral da Liga Portuguesa Contra o Cancro. Vítor Veloso adianta que as dificuldades são sentidas por outros hospitais do país.

O que acho «engraçado» é que neste país para salvar os Bancos e os senhores de colarinho branco existem milhares de milhões de euros. Já em coisas essenciais como a saúde ou para comprar fardas para combater os incêndios ou para helicópteros não existe solução.

Este país às vezes parece uma obra de Picasso já que parece surreal.

10
Mai18

Pouco banho ou muito banho?

jl

banhito.jpgBoas.

Hoje estava a ver televisão e quem é que aparece numa reportagem relativa aos festejos do Futebol? O individuo que muitos conhecem como Emplastro (mas que tem o seu nome de Fernando mas que muita gente infekizmente trata como animal) e vai daí ocorreu-me uma ideia de escrever aqui algo. Quem já esteve junto a essa «figura» vê que o tomar banho (infelizmente para ele e talvez devido a falta de acompanhamento) não é muito o forte dele. E por incrível que possa parecer ele é que está acertado. Será? Cá vai:

Tomar banho todos os dias pode ser prejudicial

Tomar banho todos os dias é considerado um hábito básico de higiene que devia ser seguido por todas as pessoas (especialmente aquelas que levantam os braços no autocarro e quase que atiram com o resto pessoal ao chão), certo? Segundo especialistas americanos, não é bem assim. Em vez de colaborar para a redução de infecções, banhar-se diariamente pode, na verdade, aumentar esse risco.

De acordo com Elaine Larson, especialista em doenças infeciosas da Universidade de Columbia, em entrevista ao jornal ‘Daily Mail’, banhos excessivos podem reduzir a hidratação da pele, fazendo com que ela fique seca e rachada, facilitando a entrada de germes causadores de doenças.

Além disso, a chuveirada diária (sendo que no mínimo uma no Verão é normal)remove os óleos naturais da pele, o que pode reduzir o número de bactérias saudáveis, vírus e outros micro-organismos que vivem dentro do nosso corpo e apoiam o funcionamento do sistema imunológico.

Baseando-se em observações feitas em índios de aldeias remotas da Amazónia, pesquisadores da Universidade de Utah,  descobriram que essa população tinham a maior diversidade de bactérias e funções genéticas já relatadas em um grupo humano já que não se higienizavam todos os dias. Segundo eles, ao contrário dos aldeões amazónicos, os ocidentais são excessivamente limpos, o que afeta suas populações de micróbios e, consequentemente, sua saúde. Vou começar a ir trabalhar de fralda e com umas pequenas de galinha na cabeça!

Para evitar a perda desses organismos que executam funções importantes no corpo humano, o dermatologista americano C. Brandon Mitchell dá um conselho radical: banho apenas uma ou duas vezes por semana. “Banhos diários não são necessários”, disse.

Contradições

Segundo o ‘Daily Mail’, porém, outra pesquisa, realizada no Reino Unido, aconselha a limpeza diária. Isso porque, de acordo com as descobertas feitas pelo estudo, um indivíduo que trabalha em frente ao computador pode entrar em contacto com 10 milhões de bactérias, que podem causar doenças como gripes e constipações. Para efeito de comparação, esse número é 400 vezes maior do que a quantidade média encontrada na sanita. Ó pá tomo banho ou não tomo?

Como essas bactérias podem ser encontradas no telefone, no teclado e no rato, os especialistas recomendam que as pessoas desinfectem o seu ‘posto’ de trabalho com frequência. “Bactérias e vírus podem-se multiplicar em superfícies duras, permanecendo infeciosas até 24 horas”, disse Lisa Ackerley, especialista em higiene e professora da Universidade de Salford, em Inglaterra.

Medidas melhores de limpeza e higiene, incluindo banhos diários, também ajudam a reduzir as doenças adquiridas no ambiente de trabalho.

E se for um índio que trabalhe com um computador?

09
Mai18

Coldre muito esquisito

jl

img_757x498$2018_04_29_11_28_27_733021.jpgBoas.

Que estejam todos bem por aí. Ontem à noite estava a ver um filme um pouco mais picante, onde a protagonista usava o sexo quase como uma arma. Mas não é desse filme que venho falar, mas venho falar de uma senhora que o seu sexo era como uma arma. Cá vai a história:

Mulher apanhada com pistola dentro da sua farfalota pimpinela

Jovem de 27 anos transportava material que faz rir no seu carro quando viajava. Foi detida por tráfico e também posse de arma ilegal.

Uma mulher foi encontrada com uma pistola carregada de balas escondida dentro da vagina durante uma operação Stop levada a cabo pela polícia, em Missouri, nos Estados Unidos. Pistola carregada dentro da passarinha?!? Esta mulher é fogo! Literalmente!

 Os agentes da autoridade realizaram uma busca ao carro onde Anika Witt viajava, onde acabaram por encontrar drogas. Chocados, os polícias detectaram a arma escondida dentro do órgão genital da mulher. Claro que nem pergunto como os agentes descobriram isto!

A jovem de 27 anos acabou por ser detida e considerada culpada por tráfico de drogas pesadas e por posse de arma ilegal, bem como o cúmplice, Clinton McDonald, de 29 anos. A mulher foi condenada a 25 anos de prisão, no entanto, a sua pena poderá vir a ser reduzida, depois de ter feito um acordo com as autoridades no sentido de colaborar com toda a investigação. A arma que Anika escondia na vagina era uma Kimber com 5,6 centímetros e munida de balas. O cadastro da jovem já era conhecido da polícia, pelo seu passado ligado a assaltos e a fraudes.

Sempre ouvi falar de assaltos à mão armada, mas assaltos à vagina armada confesso que foi a primeira vez! E a senhora é que foi presa, porque nem quero imaginar como o seu companheiro fazia Amor com ela! Porque de pistola estava ela servida!

08
Mai18

Alugo Sogra!!

jl

japao.jpgBoas.

Que esteja tudo bem aí por esses lados. Hoje enquanto percorria a Net deparei-me com um artigo que me tocou imenso e o mesmo rezava assim:

Japão: Do aluguer de familiares às idosas que preferem estar presas em vez de sozinhas

Numa sociedade de grandes contrastes há mulheres de 70 ou 80 anos que fazem pequenos roubos em lojas para serem presas porque se sentem sozinhas. E há quem resolva o problema da solidão com o aluguer de parentes

Sobre o Japão costumamos ouvir falar do Imperador, das cidades com milhões de habitantes, dos comboios supersónicos e, claro, das bombas nucleares que arrasaram as cidades de Hiroshima e Nagasaki e que acabaram na rendição do país e o término da II Guerra Mundial, em 1945.

Mas também ouvimos e lemos que é um dos países mais envelhecidos do mundo – 27,3% da população tem mais de 65 anos – e que a esperança média de vida é das mais altas, 84 anos (87 anos para as mulheres e 81 anos para os homens). As mulheres duram mais porque os homens ficam esgotados de as aturar! Menos tu, Maria. És uma santa!

É uma nação de grandes contrastes, mas vamos apenas falar de um tema, a solidão, em duas variantes: a população que aluga, sim aluga, familiares e as mulheres mais velhas que cometem pequenos crimes para irem para a prisão, porque ali têm companhia e quem trate delas.

Alugar um parente não é uma novidade no Japão. Há agências que tratam desse assunto, como conta a reportagem da revista norte-americana New Yorker. Há quem precise de um marido, de uma mulher, um filho ou filha, um neto... O grosso destes alugueres é destinado à companhia para ir a casamentos, mas há mais causas. Como o homem que enviuvou e viu a filha sair de casa depois de uma discussão. Nishida, residente em Tóquio, como relata a New Yorker, recorreu aos serviços da agência Family Romance para alugar uma mulher e uma filha. Embora isto pareça saído do 1 de Abril não é mentira!

Marcou um primeiro encontro, depois de 375 dólares pagos e um pedido para que a falsa filha tivesse a mesma idade da verdadeira e que a falsa mulher fosse parecida fisicamente com a que faleceu, e foram todos jantar. As duas mulheres prestaram bem o serviço (refira-se que representam como se fossem atrizes) e Nishida continuou a requerer os préstimos da agência. No segundo encontro, jantaram em casa dele e viram televisão depois, como se de uma normal família se tratasse.

Nishida, com cerca de 60 anos, queria dar cabo da solidão. Acabar com o momento de chegar a casa e não ter ninguém com quem falar e partilhar as aventuras do seu dia. Seguiram-se vários outros momentos juntos. A filha alugada até convenceu o “pai” a telefonar para a verdadeira filha e desfazer os mal entendidos. O que aconteceu e com sucesso.

Este é um dos casos. Há quem alugue “amigos de infância”, parceiros(as) para quem está divorciado ou preso e, até, pais quando não se quer dizer ao noivo(a) que eles já faleceram. A Family Romance tem 12 mil atores para todos os serviços.

Uma outra agência, conta a revista, tem um serviço mais especializado. Do menu constam várias tipologias de “homem giro”: durão, intelectual ou irmão mais novo, por exemplo.

Há toda uma indústria para satisfazer estes pedidos que, muitas vezes, têm por trás o sentimento que as faz ganhar dinheiro: solidão.

O outro lado da pesada moeda da solidão aponta para um número cada vez maior de idosas que praticam pequenos crimes para serem presas. Os roubos em mercearias e supermercados encimam as ilegalidades cometidas por mulheres de 70 ou 80 anos que se sentem sozinhas por não terem família ou que, mesmo tendo, vivem isoladas e sentem falta da partilha. Na reportagem da Bloomberg são contadas algumas dessas histórias. Como a da Sra. N., de 80 anos, condenada (pela terceira vez) a três anos e dois meses de prisão por ter roubado uma moldura, croquetes e uma pequena ventoinha de mão.

Com marido, dois filhos e seis netos diz que “passava os dias sozinha”, que o marido lhe “dava muito dinheiro”, mas não era isso que queria. A Sr. N. afiança que “gostei mais da minha vida na prisão. Tinha sempre pessoas com quem falar e não me sentia sozinha. Quando fui libertada, da segunda vez, jurei que não voltava mais. Mas quando estava lá fora não conseguia deixar de me sentir nostálgica”. Num outro caso relatado, a Sra. O., de 78 anos, também a cumprir uma terceira pena por ter furtado bebidas energéticas, chá, café e uma manga, refere que “a prisão é uma oásis para mim. Um local de relaxamento e conforto.”

Na sociedade japonesa, o número de crimes praticados por idosos tem sido um problema difícil de resolver e para o qual não estavam preparados. Não há programas de reabilitação para estas pessoas e as guardas-prisionais andam convertidas, também, em enfermeiras (a idade avançada das prisioneiras faz com que precisem de mais cuidados de saúde), profissão para a qual não estão preparadas. Em dez anos as despesas de saúde no sistema prisional aumentaram 80%.  Mas isto só no Japão porque se fosse aqui, quer num hospital quer numa prisão era de evitar uma segunda visita. Mas com as reformas que muitos idosos têm o conseguir não roubar para comer é quase milagre.

Uma em cada cinco mulheres presas é idosa e, destas, nove em cada dez foram condenadas por pequenos furtos em lojas.

Vivemos numa sociedade em que se dá um imenso valor a tudo que é material: ordenado chorudo; casa fantástica; carro maravilhoso; roupas extraordinárias etc, mas ter amigos e família, parece ser daquelas coisas que estão a desaparecer.

O que há trinta anos era normal, em ter vizinhos que quase eram uma comunidade unida, hoje em dia quase que desapareceu e por mim falo quando morava num prédio nem sabia os nomes dos vizinhos.

Pelo menos quando as finanças apertarem já sei o que fazer. Alugo a minha sogra, mas não sei se não a virão devolver passado umas horas.

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D