Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

marianagugudada

A vida não é feita por parcelas, é feita pelo todo

A vida não é feita por parcelas, é feita pelo todo

marianagugudada

25
Jul20

À tona da água

jl

78475e_027ff90e149b4812af44e6531e1db8db_mv2.jpgBoas.

Agora que o Verão está aí é altura dos queixumes do calor. Mas a verdade seja dita é que nunca se está bem, porque quando chegar o Inverno as pessoas irão dizer que estão cheias do frio e da chuva. Por isso mesmo temos que saber tirar o máximo de proveito do que temos ao nosso dispor. E agora com o Verão uma das coisas que a maioria de nós tem como sonho, é ter uma daquelas casas com piscina onde se pode tirar o máximo de proveito dos raios de Sol. Mas se isto é um sonho para a maioria das pessoas, a verdade é que cabe a cada um de nós não transformar isto em pesadelo se tivermos hipótese de ter isto em casa, nem que seja como eu ter daquelas pequenas piscinas de borracha. E se já é complicado para um adulto, muito mais se torna quando temos crianças em casa, até porque o afogamento é uma causa de morte comum, sobretudo em crianças, e a qual é frequentemente evitável. E bastam só 30 centímetros de água para uma criança se afogar. Por isso, ensiná-los a nadar e mantê-los sob vigilância são acções fundamentais para se evitarem problemas.

Aqui deixo alguns conselhos para que se evitem problemas mais graves:

- Coloque limites em redor da piscina

Cerque a área da piscina e feche o acesso (por exemplo com um portão) que não possa ser aberto por uma criança. A criança nunca deve permanecer na piscina sem vigilância por um adulto.

- Cuidado com os brinquedos flutuantes

Deve ter atenção com a quantidade e o tipo de objetos dentro da piscina. Não se esqueça que estes podem impedir ou dificultar o processo de emersão. Não atire roupa, toalhas ou outros objetos semelhantes para dentro de água. Isto pode ser fatal.

- Mantenha os acessos desimpedidos

Mantenha os acessos à piscina livres para que quem esteja dentro da piscina consiga sair facilmente, sem esforços acrescidos e sem poder ter uma queda nessa circunstancia.

- Atenção à sucção

Se é proprietário de uma piscina mesmo à séria, ou se vai frequentar uma piscina digna desse nome, tenha em atenção que a água da piscina está em constante filtração. Existe um sistema que leva a água ao filtro através dos orifícios espalhados pelas paredes e fundo da piscina. Dependendo do sistema que está instalado, estes podem sugar os cabelos da criança e mantê-las submersas sem que nos apercebamos. Controle adequadamente estes espaços.

- Peça às crianças para que não corram na área da piscina

Isto acontece porque os pisos ao redor das piscinas são escorregadios. As crianças só deverão entrar e sair da piscina através das escadas.

- Cuidado com as armadilhas submersas

Alguns utensílios nas piscinas podem prender os pés, as mãos ou mesmo as crianças debaixo de água. Algumas das escadas possuem espaços que podem prender uma criança sem que os adultos se apercebam. Por isso, fique sempre atento aos detalhes da sua piscina.

- Atenção dos adultos

É preciso manter atenção especial quando crianças estão na água. O sair por um bocadinho pode ser fatal. Embora não evite acidentes, é fundamental que a sua criança aprenda a nadar.

- Não mergulhar de cabeça na piscina

Aconselhe a sua criança a não mergulhar em piscinas. Deve-se observar bem o piso da piscina antes de mergulhar, para evitar colisão com outros mergulhadores ou bater com o fundo do tanque.

 -Ensine o seu filho a ser responsável e a respeitar as suas limitações

A natação deve ser feita somente na profundidade em que se sinta confortável e seguro. Muitas vezes, pais (e isto é entre aspas) atiram os seus filhos para a água. Para além de isto não os encorajar, pode provocar traumas e acidentes fatais. No caso das crianças mais pequenas o uso de bóias é importante, mas não se esqueça que elas nunca substituem a supervisão de um adulto.

- Se a criança comer, não deve nadar

O ideal é que espere pela digestão. Nadar com a barriga cheia pode causar paragens digestivas e outros transtornos. Mas a criança até poderá concordar com isto, mas se vir o seu progenitor a fazer o oposto, o que fará?

- Não permita brincadeiras violentas nesse espaço

Empurrar, jogar à apanhada ou simular afogamentos, nunca poderá ser encarado como uma brincadeira e para além do mais uma pancada na cabeça pode resultar em afogamento.

- Equipamento de resgate próximo

Tenha sempre o equipamento básico de salva-vidas próximo da piscina. As boias e cordas são recomendadas em caso de uma piscina maior. Tenha sempre um telefone por perto e, em caso de acidente, ligue para o 112 e dê indicações precisas sobre o local onde se encontra.

Tudo isto não quer dizer que as coisas aconteçam, mas o melhor é estar sempre preparado.

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2022
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2021
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2020
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2019
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2018
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2017
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2016
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2015
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub