Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

marianagugudada

A vida não é feita por parcelas, é feita pelo todo

A vida não é feita por parcelas, é feita pelo todo

marianagugudada

08
Jun18

alôz

jl

arroz.jpgBoas.

Hoje venho aqui falar do que se come mais concretamente do arroz. Embora não estejamos na Ásia, os portugueses quase que não dispensam este alimento. Se formos a um restaurante ou a uma churrasqueira quase que dá para contar pelos dedos de uma mão, os pratos que não são acompanhados por arroz. E sendo um alimento tão ingerido (sendo que o consumo global anual anda à volta das 500 000 toneladas), o arroz é um produto muitas vezes quase desconhecido em termos de características para os consumidores e quanto mais se souber mais bem adequado será para a nossa alimentação.

Mas afinal o arroz tem glúten? É um hidrato?

Para acabar com imensas dúvidas, começo pela maior: o arroz é realmente um hidrato de carbono, nomeadamente um hidrato de carbono complexo, ou seja, do tipo de hidrato mais aconselhado por ser de absorção lenta o que dá uma sensação de saciedade por um tempo mais prolongado. Neste sentido, é mais aconselhado que outros hidratos de carbono (simples) como massas brancas que nos fazem apertar o estomago ao fim de menos tempo.

Entre o arroz branco e o integral, o segundo, que não é refinado, é o mais indicado para quem pratica bastante exercício físico e por isso precisa de mais energia, que é consumida sob a forma de hidrato de carbono.

Quando ao arroz branco, refinado, perde parte da fibra durante o processo de produção e tratamento do alimento, o que facilita a digestão. No geral, o arroz branco conta com mais hidratos de carbono do que o integral, sendo o basmati o arroz branco que mais se aproxima das propriedades do integral. Mas para além do gosto ser um pouco diferente, o preço também é!

Tendo esclarecido este ponto, saiba que o arroz não tem glúten – seja que tipo de arroz for. Algo que não tem necessariamente de ser excluído, a não ser que seja celíaco, mas que muitos restringem o consumo por variadas razões, associadas a opcionais restrições alimentares. Mas como em tudo na vida, o importante é variar!

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D