Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

marianagugudada

A vida não é feita por parcelas, é feita pelo todo

A vida não é feita por parcelas, é feita pelo todo

marianagugudada

27
Set20

Felicidade vs Dinheiro

jl

dinheiro e felicidade.jpgOlá.

Mais uma semana que passou e mais uma semana em que o Euromilhões não quis nada aqui com a minha pessoa. Mas a verdade seja dita, isto não é nada que fique admirado. Aliás se fosse ao contrário é que seria motivo de estranheza. Mas como a esperança é como a sogra (ou seja, a última a patinar) temos que esperar pelo próximo sorteio para ver se a sorte nos aquece a carteira. Eu sei que o dinheiro não traz a felicidade, mas que ajuda, lá isso é verdade.

Mas será que a riqueza faz-nos mais felizes?

Primeiro, é preciso definir o que é isso de ser feliz, até porque geralmente isso é tratado como um estado emocional positivo. A este, estão associados a sensação de felicidade assim como o prazer, o bem-estar e a percepção de sucesso.

Tudo isto tem muito a ver com satisfação e o quanto a expectativa das pessoas está a ser cumprida na vida que se têm. Se existe uma distância muito grande entre o que nós conseguimos e aquilo que esperamos, mais insatisfeitos ficaremos.

As nações que acumulam mais riquezas, que conseguem atingir menor índice de mortalidade infantil, que garantem fundos para a ciência, que investem em parques e locais públicos para lazer, têm pouco impacto no nível de bem-estar subjetivo dos habitantes. Até porque por norma, os cidadãos destes países sentem que têm pouco tempo e que trabalham cada vez mais.

Ou seja, se nós temos o que chamamos de básico, como a saúde, educação, oportunidades para concretizar as suas aspirações e boas relações sociais, o ter mais e «melhores» bens materiais tenha mais impacto negativo do que positivo na nossa felicidade.

Hoje em dia e cada vez mais, as pessoas procuram quase incessantemente um nível de riqueza material cada vez maior em relação a gerações anteriores e sacrificam a maioria do seu tempo bem como os relacionamentos para obter isso. Mas será que tudo isso vale a pena?

Depois de se pagar todas as contas e ter dinheiro suficiente para chegar tranquilamente é bom. Poder ter um pé-de-meia para uma situação imprevista melhor ainda. Ter dinheiro que nos permita comprar quase tudo, mas que em contrapartida nos obriga a viver quase escondido de tudo e de todos e em ter receios de sermos assaltados ou a viver com medo do que possam fazer com os nossos compensará?

Às vezes sei que o dinheiro faz a diferença. Sempre ouvi dizer que devemos é pensar primeiro na saúde. Mas se não tivermos, o dinheiro faz muita diferença. É quase como o caso da depressão, a mesma não é mais comum na população pobre. O que se sabe é que nestes casos, existe uma dificuldade maior no seu tratamento.

— O consumismo que muita gente hoje vive pode tornar-se uma coisa patológica, chegando a um ponto em que essa pessoa não consegue parar. O consumismo faz uma pessoa trabalhar mais e mais e ficar stressada, não trazendo com isso um estilo de vida com mais qualidade.

- Importante investir na felicidade

Mas se dizem que o dinheiro pode ajudar à felicidade, então porquê é que isso nem sempre acontece? Acima de tudo porque muitas vezes o investimento não é feito nas coisas certas e nem nas companhia das pessoas que deveriam estar ao nosso lado.

- Pessoas felizes conseguem mais dinheiro

Existem estudos que nos dizem que a felicidade vem antes do dinheiro, mas que as pessoas felizes tendem a ser mais produtivas. A personalidade tem relação directa com a capacidade de ser feliz a partir do dinheiro.

E depois está tudo interligado, porque se não temos como dar comida aos nossos filhos ou sustentar a casa, obviamente que não seremos felizes. Mas a partir do momento em que a situação se inverte, a nossa personalidade ficará diferente.

Em primeiro lugar temos que ser felizes e se por vezes isso não é fácil, então teremos que lutar para isso e depois as coisas acontecerão naturalmente.

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2022
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2021
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2020
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2019
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2018
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2017
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2016
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2015
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub