Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

marianagugudada

A vida não é feita por parcelas, é feita pelo todo

A vida não é feita por parcelas, é feita pelo todo

marianagugudada

17
Set21

Mestre da culinária

jl

eu vou comer, eu vou comer.jpgBoas.

Ainda esta semana estava a ler sobre a pressa que se está a viver a vida, pressa essa que nos leva mais depressa para a morte. Como se sabe a morte é algo de inevitável, mas a Vida deve ser vivida com um tempo que se consiga viver em plenitude.

E uma das vertentes que temos na nossa vida é a cozinha e o comer e o modo como muitas vezes em vez de se comer, basicamente a comida é engolida. E isto também se aplica na confecção. De seguida deixo aqui alguns exemplos:

Descansar a carne

Após assar a sua peça de carne deve esperar entre 15 a 20 minutos (dependendo do tamanho da peça) antes de a trinchar. Isto fará com que os seus sucos que estão no interior da peça, se distribuam até à camada superficial, aquela que esteve mais exposta ao calor e que por isso mesmo perdeu sucos por evaporação.

Os panados pedem calma

O panado para ser bem feito é banhado pela seguinte ordem: farinha, ovo batido (o qual serve como cola) e pão finamente ralado. E como tudo na vida, a pressa é inimiga da perfeição. Para ter bons resultados deve banhar o panado nos três elementos e coloca-los 20 minutos na grelha do forno à temperatura ambiente a descansar antes de os fritar.

Na carne, coloque a pimenta só no fim

Seja no forno, no grelhador ou na frigideira, as altas temperaturas tendem a tostar a pimenta, conferindo-lhe deste modo um sabor amargo. Desta forma, o ideal será juntar a pimenta depois da carne já cozinhada. Com o sal, dado não existir este problema, este pode entrar no início do assado e, com isso, penetrar na carne.

Ervas aromáticas frescas só no fim

Gosto e aroma são duas qualidades dos alimentos que devem conviver em conjunto. No caso das ervas aromáticas, a fragrância é bastante frágil. Em consequência, face ao calor o aroma desaparece rapidamente. Poderá adicionar ervas aromáticas secas durante a confeção dos alimentos, mas não as frescas. Estas só deverão ser adicionadas na hora de desligar o fogão.

Barrar molho no frango no início do grelhado.

Barrar a carne de frango com um molho no início do assado não lhe traz sabor acrescido. Muitos, entre os molhos industriais, contam com uma grande quantidade de açúcar. Se barrar a carne de frango antes de esta ir à brasa, a temperatura elevada do assado vai queimar esse açúcar e conferir à carne um aspeto queimado e sabor algo amargo. Na realidade devemos barrar a carne do frango uns 15 minutos antes do assado estar pronto e, atenção, o lume não deve estar muito quente.

Se vai fritar, adicione o sal só no final

Sendo que o sal absorve a humidade, ao mergulhar os alimentos no óleo quente, vai provocar um acréscimo de salpicos. Além disso, o sal pode também baixar o ponto de fumo do óleo e acelerar a decomposição química. Se desejar utilizar o mesmo óleo várias vezes, não deve salgar os alimentos previamente ou, pelo menos, deverá usar menos sal.

Cozinhar com azeite extra virgem. Um desperdício!

O azeite extra virgem é excelente para temperar uma salada, para regar com conta peso e medida, um peixinho cozido. Mas se o utilizar a altas temperaturas, em frituras, assados ou guisados é desperdiçar um alimento nobre e não traz vantagem face à utilização de um azeite virgem, o qual será bem mais barato.

As claras em castelo pedem que as batamos com sabedoria

Bater as claras a todo o vapor no início do processo vai originar grandes bolhas de ar, as quais serão instáveis. Mas se bater a uma velocidade baixa a média, as bolhas de ar serão mais pequenas e mais estáveis. Nessa altura poderá, aumentar a velocidade para média e, depois para alta.

Virar rapidamente os alimentos

Uma regra de ouro de quem cozinha é não virar constantemente uma peça de carne ou de peixe na frigideira ou panela. Com isso arrisca-se a acabar com carne seca e peixe desmanchado. Deixe os alimentos cozinharem de um lado e, só depois, os vá virar. Uma volta é mais que suficiente.

Acima de tudo cozinhe com calma e tire partido disso mesmo. Cozinhar por obrigação é um castigo, mas cozinhar por gosto é um prazer enorme.

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2022
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2021
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2020
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2019
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2018
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2017
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2016
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2015
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub