Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

marianagugudada

A vida não é feita por parcelas, é feita pelo todo

A vida não é feita por parcelas, é feita pelo todo

marianagugudada

24
Abr20

Missão (Im)Possível

jl

praias 2020.jpgOlá.

Não sei se as pessoas se lembram de uma música dos Fúria do Açúcar que era: eu gosto é do Verão.

Tinha um refrão engraçado que era:

 Eu gosto é do Verão

De passearmos de prancha na mão.

Saltarmos e rirmos na praia

De nadar e apanhar um escaldão.

E ao fim do dia, bem abraçados

A ver o pôr-do-Sol

Patrocinado por uma bebida qualquer.

Pois, este ano vai ter que se adaptar a letra, porque a continuar assim a prancha, deve ser a tábua de passar a ferro e saltar e rir só se for na sala patrocinados pelo gel alcoólico da moda.

Claro que existe sempre a esperança que isto melhore, mas segundo o que vem vindo à discussão estão a ser tomadas medidas de segurança para a frequência destes locais.

É que para a data normal de abertura da época balnear já não falta muito, já que o que está previsto é que isto aconteça no dia 1 de Junho.

Mas segundo aquilo que tem vindo ao conhecimento é que as praias irão ter uma lotação máxima, calculada em função da capacidade de cada espaço. O que em abono da verdade não vai ser nada fácil de definir.

Uma coisa que se tem falado é sobre distanciamento entre as pessoas e um espaço seguro para as sombras e para os chapéus-de-sol ou como se diz na minha terra os guarda-sóis. Mas isto do distanciamento será muito giro de ser aplicado em famílias. Se um casal levar dois filhos como irão fazer?

Uma das coisas que se tem falado é sobre o possível uso de máscaras pelos banhistas, sendo que é possível que se o uso seja exigido na frequência de restaurantes de praia ou bares de apoio. Numa esplanada vai se estar de máscara? E irão ser feitos modelos de máscaras mini como os fatos de banho brasileiros?

Claro que no papel é tudo fantástico e podem colocar-se mil e uma ideias, mas como se vai fazer com que tudo isto se cumpra? Num café ou num restaurante condicionar entradas e distância até poderá não ser muito complicado, mas como fazer isto numa zona com centenas de metros em que se pode entrar por imensos sítios e com milhares de pessoas a afluir aí?

E anda tudo preocupado com as praias, mas os transportes para lá como irão funcionar? Basta ver os autocarros ou o Metro aqui na zona metropolitana no Verão que se dirigem para as praias para ver que isso vai ser uma missão quase impossível e não estou a ver o Tom Cruise a salvar aqui o pessoal do Covid.

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2022
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2021
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2020
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2019
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2018
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2017
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2016
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2015
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub