Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

marianagugudada

A vida não é feita por parcelas, é feita pelo todo

A vida não é feita por parcelas, é feita pelo todo

marianagugudada

22
Nov15

Rabo virado para a lua

jl

Um homem sobreviveu ao 11 de Setembro e agora ao Bataclan

"Corri como um louco em Manhattan [no 11 de Setembro] mas o que eu passei no Bataclan foi mil vezes pior". Um americano residente em Paris decidiu partilhar a sua incrível história: uma pessoa que esteve presente em dois graves ataques terroristas e sobreviveu aos dois.

 ‘Matthew’, o nome que escolheu usar para partilhar a sua história com o jornal francês Le Monde, estava junto do World Trade Center, em Nova Iorque, quando o primeiro anaom_5651eacc69f2e.jpgvião embateu no edifício, há 14 anos. Aos 22 anos de idade correu o mais rápido que conseguiu e afastou-se do local.

O norte-americano, agora com 36 anos, era também uma das pessoas que estava no meio da multidão que estava presente na sala Le Bataclan, no passado dia 13 de novembro, a assistir ao concerto dos Eagles of Death Metal.

Foi atingido numa perna por uma bala, mas não teve a mesma sorte que as 89 pessoas mortas naquela sala, naquela mesma noite. ‘Matthew’ sublinha que reconheceu de imediato o som dos disparos e começou a correr para a saída e acrescenta que foi essa reação rápida que lhe salvou a vida.

“Arrastei-me centímetro a centímetro [após ser atingido na perna]. A dada altura, consegui alcançar a porta de emergência. Agarrei a alavanca com um dedo de cada vez. Corri como um louco em Manhattan [no 11 de Setembro] mas o que eu passei no Bataclan foi mil vezes pior. Estava a fingir-me de morto. Quando senti alguém a arrastar-me pelos braços nem olhei para cima. Disse, ou imaginei que disse, ‘amo-te meu anjo’”, relatou o homem ao jornal Le Monde.

Foi precisamente um jornalista desta publicação, Daniel Psenny, que auxiliou ‘Matthew’ quando ele caiu no chão, já fora do Bataclan. Psenny levou-o para sua casa, juntamente com outros feridos, incluindo uma grávida. Recorde-se que Daniel Psenny também foi atingido num braço quando tentava ajudar os sobreviventes.

‘Matthew’ diz, agora, que conta ir beber um copo com Psenny quando os dois estiverem completamente recuperados do trauma. E ainda sustenta ser capaz de voltar ao Bataclan, um dia.

Eu sinceramente não sei se será uma boa ideia, porque onde está este cavalheiro não é muito bom augúrio. Será que à terceira será de vez?

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2022
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2021
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2020
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2019
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2018
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2017
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2016
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2015
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub