Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

marianagugudada

A vida não é feita por parcelas, é feita pelo todo

A vida não é feita por parcelas, é feita pelo todo

marianagugudada

26
Jun19

Reciclar é preciso

jl

reciclar.jpgOlá.

Na semana passada vi uma reportagem na SIC que achei muito bem-feita e que falava sobre a poluição dos mares e a não reciclagem que infelizmente ainda pouco se fala.

Em Portugal, só no ano de 2017, foram produzidos mais de cinco milhões de toneladas de resíduos urbanos. Cinco milhões de toneladas é algo de brutal!

Isto devia fazer-nos pensar que garantir a preservação do nosso planeta depende de pequenas atitudes diárias que, no final, fazem uma diferença formidável – a começar por saber separar os resíduos em casa para que a reciclagem os possa transformar noutros materiais. Claro que nem todos farão isto, mas se ninguém o começar a fazer que futuro deixaremos?

Uma das coisas positivas que temos ao nosso dispor é o Eletrão, o qual encaminha para reciclagem equipamentos eléctricos, acumuladores, pilhas e embalagens. Em 13 anos de vida já orientou para tratamento e valorização qualquer coisa como 430 mil toneladas de resíduos, que assim regressam à cadeia de produção para novos produtos.

De seguida deixo aqui algumas dicas para tratar da melhor maneira o seu lixo.

  1. Como separar correctamente os resíduos?

A separação e colocação no respectivo contentor é essencial para com isso garantir que os resíduos são recolhidos, primeiro, e depois encaminhados para diferentes processos de transformação, tendo em vista a reciclagem dos materiais que os constituem. O lixo que produzimos em nossas casas devem ser encaminhados para os seguintes contentores: ponto eletrão (para os equipamentos eléctricos usados, muitas vezes instalados em centros comerciais); ponto eletrão de lâmpadas e pilhas; ecoponto verde (vidro); ecoponto azul (papel e cartão) e no ecoponto amarelo (plástico e metal).

  1. Que resíduos podem ser separados?

Mais de 50% dos resíduos que produzimos poderão ser reciclados, mas é importante saber ao certo quais podemos separar. E são eles: equipamentos eléctricos, varinhas, aspiradores, computadores, televisões, ares condicionados, aquecedores, secadores, escovas de dentes eléctricas, telemóveis, equipamentos de iluminação e lâmpadas usadas – fluorescentes compactas e tubulares, de halogéneo, LED, pilhas e baterias usadas (incluindo baterias de telemóvel e computador), vidro, plástico, embalagens de produtos de limpeza e higiene pessoal, copos de café, embalagens plásticas de alimentos, sacos de plástico, metal, latas de bebidas, conservas, papel e cartão – caixas de papelão, caixas de cereais e bolachas, cartão envolvente de iogurtes e outros.

  1. Mas para quê reciclar, se não o podemos fazê-lo indefinidamente?

Porque não só se pode reciclar várias vezes muitos dos resíduos como alguns em particular, por exemplo o vidro e os metais, podem ser continuamente transformados sem que se perca qualidade. Também o papel pode ser reciclado inúmeras vezes antes de as fibras ficarem demasiado enfraquecidas.

  1. Até que ponto a reciclagem ajuda o ambiente?

Ao reciclarmos garantimos o tratamento dos resíduos e a remoção segura de todas as substâncias perigosas para o ambiente e a saúde humana. Assegura-se ainda a recuperação de materiais cuja disponibilidade na natureza começa a escassear e uma redução da quantidade de resíduos que são colocados em aterro. Sendo que com esta actividade económica são criados empregos.

  1. Mas afinal fica mais caro reciclar ou usar as matérias-primas directamente da natureza?

Fica mais barato reciclar, já que permite diminuir o consumo de recursos virgens ao mesmo tempo que reduz o consumo de energia nos processos de preparação dos materiais. Por exemplo: recuperar 10 quilos de alumínio a partir da reciclagem de equipamentos eléctricos consome apenas 10% da energia que seria necessária para a sua produção a partir de minério virgem.

  1. Uma pergunta que muitas vezes se faz é sobre as lâmpadas que são de vidro. Sendo estas de vidro, devem ir para o ecoponto verde?

As lâmpadas contêm mercúrio, que faz com que possam prejudicar gravemente o ambiente e por consequência a nossa saúde. Se as colocarmos no ecoponto verde estaremos a contaminar todo o vidro desse vidrão e inviabilizar, assim, a sua reciclagem. As lâmpadas devem ser colocadas no ponto eletrão de lâmpadas para garantir que a eliminação do mercúrio é feita em segurança.

  1. É necessário lavar as embalagens?

Não. Apenas têm de ser escorridas.

  1. No ecoponto azul podemos colocar lenços de papel e guardanapos?

Não. Contrariamente ao que muita gente pensa (e faz), lenços de papel e guardanapos sujos devem ser colocados no chamado lixo comum.

  1. E onde se devem colocar os pacotes de leite vazios?

Os pacotes de leite, sumo e quaisquer outras embalagens de cartão para alimentos líquidos deverão ser colocados no ecoponto amarelo.

  1. Tampas de plástico podem ir para o ecoponto amarelo?

Sem dúvida. Juntamente com as respectivas garrafas plásticas, sendo que muita gente faz a recolha deste produto para beneficência.

  1. A madeira também é reciclável?

Claro que sim. As embalagens de madeira (como as pequenas caixas de morangos) devem ser depositadas no ecoponto amarelo.

  1. Depois de separarmos os resíduos em casa eles vão misturar-se no camião de recolha?

Quando os resíduos da recolha selectiva são colocados no mesmo camião isso significa que ele é bicompartimentado, respeitando a separação que já foi feita. Pode ainda acontecer que o mesmo camião seja utilizado apenas na recolha de papel e cartão num dia, e na de embalagens de plástico e metal no dia seguinte.

O ambiente agradece, esperando que isso nos traga um futuro um pouco melhor

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2022
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2021
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2020
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2019
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2018
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2017
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2016
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2015
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub