Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

marianagugudada

A vida não é feita por parcelas, é feita pelo todo

A vida não é feita por parcelas, é feita pelo todo

marianagugudada

30
Abr15

sobe e desce

jl

ganhar-dinheiro-estatistica.jpgBoas. Estive a ver uma notícia que falava dos nascimentos e das mortes neste país.

Aqui vai:

Número de mortes superou os nascimentos pelo sexto ano consecutivo

O número de mortes em Portugal superou em 2014 o número de nascimentos pelo sexto ano consecutivo, registando a população portuguesa menos 22.423 pessoas, segundo estatísticas divulgadas pelo Instituto Nacional de Estatística (INE).

No ano de 2014, registaram-se 82.367 nascimentos de crianças cujas mães eram residentes em Portugal, valor que representa uma quebra de 420 nados vivos relativamente ao ano de 2013 (-0,5 por cento).

O número de óbitos de residentes em território nacional foi de 104.790 (106.545 em 2013), na sua maioria de pessoas com 65 ou mais anos.

Segundo o INE, a diferença entre os valores de nados vivos e os óbitos verificados resulta num saldo natural negativo de 22.423 (23.756 em 2013), o que acontece pelo sexto ano consecutivo.

Entre 2009 e 2014, o mês de setembro foi aquele em que ocorreu o maior número de nascimentos de crianças enquanto o mês com menor número de nascimentos tem sido o mês de fevereiro. Relativamente ao número de mortes, em 2014, registaram-se 104.790 óbitos de residentes em território nacional, representando uma redução de 1,6 por cento da mortalidade em relação a 2013.

Da totalidade de óbitos registados em 2014, 53.196 eram de homens e 51.594 de mulheres.

A maioria das mortes foi de pessoas com 65 e mais anos (84,1 por cento) e mais de metade (56,3 por cento) de pessoas com 80 e mais anos. O mês de janeiro foi aquele em que se registaram mais mortes, seguido de dezembro.

Ao ler estas frases anteriores, pergunto-me porque não haverá mais nascimentos neste país?

Não tenho uma resposta concreta mas quase que de certeza que o Sr. Passos Coelho; o Sr. José Sócrates; o Sr. Durão Barroso; o Sr. António Guterres e por aí fora nos poderão dar uma ajuda a encontrar uma resposta.

 

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2022
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2021
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2020
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2019
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2018
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2017
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2016
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2015
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub