Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

marianagugudada

A vida não é feita por parcelas, é feita pelo todo

A vida não é feita por parcelas, é feita pelo todo

marianagugudada

23
Jun19

Sol na terra do bacalhau!

jl

sol da meia noite.jpgBoas.

Como agora tenho trabalhado por turnos o meu sono anda meio choné. Isto de alterar constantemente a mudar o período de sono não é fácil. Mas como o EuroMilhões ainda não bafejou o meu bolso lá tenho que trabalhar.

E como moro aqui nestas bandas lá se tem que aguentar. Se morasse em Sommar a coisa era um pouco diferente. Há quem ande a Sommar, outros a diminuir. Isto foi uma piadazita! Seca, mas foi! E falo nisto porque vi uma notícia que vem da Noruega mais precisamente de Sommar onde os moradores, que vivem 69 dias por ano sob a luz contínua do sol, estão a juntar assinaturas para pedir ao seu Parlamento, para que aprove a abolição de horários e dispense os relógios.

Esta ilha com pouco mais de 300 habitantes, que se situa a norte do círculo polar Ártico, os locais consideram os relógios desnecessários, já que passam a maior parte de seus dias em quase total escuridão ou então em contraste em plena luz.

Os mesmos referem que as suas vidas, desenvolvem-se com tanta pacatez que consideram um obstáculo serem controlados por relógios. Por esta razão, no final do mês de Maio, decidiram em assembleia eliminar horários e estão a juntar assinaturas para pedir ao Parlamento nacional que discuta as implicações práticas desta decisão inédita e aprove a iniciativa.

Segundo que veio à baila, o acordo visa a abolição da rigidez na medição do tempo, já que para os locais, ter este acordo nada mais é do que formalizar uma coisa que já praticam há gerações.

Sommar aproxima-se da época em que passa 69 dias com luz total e que, a qualquer hora, se vêem cenas completamente inesperadas noutros locais do mundo. No meio da noite, a horas que as pessoas poderiam classificar como duas da manhã, veem-se crianças a jogar futebol, pessoas a pintar as suas casas ou a cortar a relva e adolescentes a nadar.

Apesar da maioria das pessoas estarem de acordo, alguns moradores da ilha duvidam do sucesso da abolição de horários na ilha. É o caso da recepcionista de um hotel local que, considerou que o acordo enfrenta alguns obstáculos, onde o ‘check-in’ e o ‘check-out’ para os hóspedes ou saber o horário de abertura do bar e do restaurante será complicado.

Um símbolo da abolição dos horários que a iniciativa pretende criar consiste em convencer os visitantes a pendurar os seus relógios na ponte que separa a ilha do resto do município a que pertence, Tromsø.

Ainda bem que aqui não é assim, senão da maneira como as entidades patronais são bem que iriamos trabalhar 20 horas por dia e horas extras seriam zero.

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2022
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2021
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2020
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2019
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2018
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2017
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2016
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2015
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub