Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

marianagugudada

A vida não é feita por parcelas, é feita pelo todo

A vida não é feita por parcelas, é feita pelo todo

marianagugudada

29
Dez20

Entrar no novo ano com o dinheirinho contadinho - 2

jl

2021-2.jpgOlá.

Cá estou novamente com um artigo que nos fala sobre o poupar e com o ano novo aí à porta este é daquelas alturas em que traçar metas é importante, até porque por norma existe uma pré-disposição a isso. Mas em vez de estar a chatear com isto. Vou aqui deixar alguns exemplos:

- Tenha atenção aos pequenos gastos

Um pão com manteiga e um pingo e pode até não parecer um gasto exagerado, mas ao somar 1,50€ por dia verá que ao fim de um mês gasta pelo menos 30 euros. E ao fim do ano só nisto que parece insignificante gasta quase 400 euros. Agora some a isso dois cafezinhos e verá que nem um ordenado lhe chega.

 - Reaproveite materiais para decorar a casa

Ao andar na net verá que lhe irão aparecer vários sites que lhe dão dicas de decoração que pode levar a cabo com materiais que tem em casa. Além de ser um divertido passatempo, é uma forma de poupar dinheiro em decoração. E se tiver uma Pimpolha em casa, ideias não lhe faltarão.

- Antes de contratar alguém, tente fazer o serviço

Sempre que for possível, tente fazer as coisas por si mesmo, em vez de contratar um serviço. Às vezes fazemos filmes, sem que tentemos fazer as coisas. Já pintei a minha casa. Nada de mais, mas em vez de pagar 300 ou 400 euros num profissional, fiz eu esse serviço.

- Coma fora só de vez em quando

Crie uma rotina de levar o almoço para o trabalho e cozinhar o jantar. Irá poupar bastante e, como em tudo o resto, não precisa de ser radical. Um almoço na rua com os colegas de trabalho uma vez por semana sabe sempre bem. Mas ao fazer as coisas verá que até gosta e isso ainda fará com melhor lhe saiba o que faz.

- Faça listas de compras

A melhor forma de não gastar mais dinheiro do que o necessário no supermercado continua a ser fazer uma lista e cingir-se a ela. Ir às comprar sem lista é meio caminho andado para comprar produtos por impulso. E se levar miúdos consigo, isso ainda é mais importante porque como sabemos, eles pedem tudo e mais alguma coisa se não forem educados adequadamente.

- Pague atempadamente as suas dívidas

Se tiver várias dívidas, por exemplo de cartões de crédito, a sua prioridade financeira deve ser pagá-las e não voltar a contraí-las. Os cartões se não tiverem controlo, são autênticos sorvedores de dinheiro.

- Poupe o que conseguir

O ideal é poupar 15% do seu rendimento mensal, mas, se não conseguir, não abandone a ideia. O importante é criar um hábito de poupança que lhe permita ter algum dinheiro de parte. Até porque em qualquer altura pode precisar. E se esta Pandemia nos ensinou alguma coisa é que a vida dá uma volta num ápice.

- Crie um objectivo de poupança mensal

Ajuste o montante de poupança às suas possibilidades e ao seu estilo de vida. Se concluir que não consegue prever o valor que pode poupar mensalmente, defina objectivos semanais. E se não consegue deixar o dinheiro quieto na sua conta bancária, então opte por abrir uma conta só de poupança. Se abrir uma conta no banco CTT não gasta na sua manutenção e aí pode criar um mealheiro.

- Encare a poupança como se fosse uma despesa

Não olhe para a poupança mensal como uma forma de guardar ou juntar dinheiro. Assuma cada valor poupado como se se tratasse de uma despesa. Se encarar os valores que poupa mensalmente desta maneira, vai ser mais fácil esquecer-se de que o dinheiro existe e pode ser liquidado. O que interessa é poupar, se não puder poupar 100, então poupe 60. Mas poupe.

- Guarde parte dos rendimentos extra

O reembolso do IRS, bem como os subsídios de férias e de Natal, são rendimentos extra que recebemos ao longo do ano e aos quais não precisamos (ou não deveríamos) ou não deveríamos precisar para fazer face aos gastos do dia-a-dia. Guardar estes valores total ou parcialmente permitirá um aumento significativo das suas poupanças no final do ano. Será que no Natal tem que gastar valores absurdos em prendas? Será que quem gosta de si, não gostará se receber uma prenda de 10 € em vez de uma prenda de 50€?

- Crie uma reserva de emergência

Vale a pena criar uma reserva de emergência que represente duas ou três vezes as suas despesas fixas mensais. Esta reserva não é uma poupança. É uma segurança para o caso de um imprevisto acontecer. Não confunda isto com a poupança que deve criar.

- Tenha um mealheiro

Aquelas moedas que sobram ao fim do dia parecem não ter grande valor para poupança, mas quem já teve um mealheiro sabe a surpresa que é verificar quanto se poupou ao fim de um ano. E se não criar para si, ao menos crie para a criança lá de casa. Ainda me lembro bem do mealheiro que tive do Montepio Geral quando ainda era uma criança.

- Procure o combustível mais barato

Com o preço dos combustíveis a variar constantemente e quase sempre para cima, vale a pena procurar os postos de abastecimento com preços mais em conta. Existem aplicações para o smartphone que fazem uma busca pelos postos mais próximos e apresentam os preços praticados no momento. E para além disso pode sempre associar outros cartões ao da sua gasolineira, sendo que por norma ainda existem dias em que pode poupar mais uns cêntimos. Dez cêntimos por litro vezes centenas de litros ao fim do ano é dinheiro.

- Cuidado com a conta da Luz

Crie o hábito de apagar a luz cada vez que sai de uma divisão da casa e desligue os equipamentos eletrónicos que não está a utilizar. Use também lâmpadas economizadoras de energia e tomadas com interruptor. Se tiver que comprar algum electrodoméstico tenha também atenção ao que ele consome em electricidade. Pode custar mais, mas o que irá poupar será bastante compensador.

- Cumpra sempre os prazos de pagamento

Não apenas de contas referentes a serviços, mas também de pagamentos ao Estado. Consulte regularmente, no Portal das Finanças, os prazos para o pagamento dos diferentes impostos, como o IUC e o IMI, por exemplo, por forma a pagá-los a horas e evitar as coimas. Se não é grande coisa a decorar datas, faça um plano num calendário ou coloque lembretes no seu telemóvel.

- Compra e venda em segunda-mão

Pode vender coisas que não usa, em segunda-mão, através de diversos sites da internet, para obter algum rendimento extra. E, do mesmo modo, pode comprar nesses sites itens específicos como livros, gadgets e objetos de decoração, por exemplo. Sei que muita gente ainda torce o nariz quando compra algo em segunda-mão, mas quantas pessoas não compram um carro em segunda-mão? Se compram algo que custa milhares de euros, então porque não comprar outras coisas?

- Tenha cuidado com a sua alimentação.

Ter um estilo de alimentação saudável sai significativamente mais barato na conta do supermercado e também na sua saúde.

Conforme deixo aqui estes conselhos, poderia deixar muitos mais, mas o que importa é tomarmos medidas acertadas na nossa vida e acima de tudo pensarmos em nós e nos nossos. Quando somos mais novos gostamos imenso de impressionar os outros, mas à medida que o tempo vai passando, por norma os nossos pensamentos amadurecem e ficam mais sábios e é nesse ponto que temos que nos saber agarrar.

27
Dez20

Entrar no novo ano com o dinheirinho contadinho - 1

jl

2021-1.jpgBoas.

Agora que o ano de 2020 está prestes a ir de vela (e saudades deixa poucas) é tempo de se começar a traçar novos objectivos para o ano de 2021. Não quer dizer que se vá conseguir atingir os mesmos, mas o traçar algo, é bom para que se consiga realizar o que se pensou. E um aspecto que muita gente tenta fazer é planear o novo ano no que diz respeito a dinheiro. E com a crise que se está a viver e não se sabendo quando a mesma acabará é bom que se tenha mesmo ideias no que ao dinheiro diz respeito. Se o poupar sempre foi importante, agora ainda mais se torna, por isso deixo aqui algumas dicas:

- Registe todas as despesas que faz

É impossível controlar os seus gastos se não perceber para onde vai todo o dinheiro que ganha. Por isso registar os gastos (e isto pode ser em papel, no computador ou numa app para o telemóvel) é o primeiro passo para começar uma rotina de poupança e de certeza que ficará admirado no que gasta o seu pilim.

- Defina metas realistas para os seus gastos

Além de registar, é importante estabelecer metas para controlar melhor os seus gastos. Poderá definir, qual a percentagem do ordenado que pode gastar. Mas aí seja realista, porque não adianta dizer que vai poupar 30% do ordenado se não consegue tirar mais que 10% por exemplo.

- Arredonde por excesso

Uma boa regra é arredondar as despesas por excesso e os rendimentos por defeito. É muito melhor sobrar do que faltar.

- Se puder pague as contas todas no mesmo dia

Defina um dia do mês para pagar todas as contas. Assim, as despesas fixas sairão todas da conta ao mesmo tempo e saberá com o que conta até ao fim do mês.

- Defina prazos a cumprir

Se quiser poupar com um objectivo específico, como comprar algo para casa ou uma roupa para si, defina até quando deverá ter em conta o valor necessário. Isso irá ajudá-lo a motivar-se e a ajustar os valores ao longo do tempo para cumprir o prazo a que se propôs.

- Não deixe o dinheiro tornar-se um assunto tabu

Fale sobre dinheiro com a sua família. Transparência é o melhor caminho para reorganizar as suas contas. E para além do mais, duas cabeças a pensar têm mais rendimento.

- Esqueça o cartão de crédito

Hoje em dia basta ir a um centro comercial para ver que ofertas de cartões de crédito não faltam. Desde a loja de roupa, de electrodoméstico ou ao hipermercado chovem «ofertas» de todo o lado. Mas se quer poupar, a melhor relação que pode ter com o seu cartão de crédito é esquecer que ele existe. Lembre-se que um cartão de crédito é um empréstimo e não um rendimento, e, por isso, no fim do mês representa uma despesa. Por isso se o tiver, o melhor é guardá-lo para uma situação mesmo de emergência.

- Faça compras com dinheiro

Numa ida ao supermercado ou a um centro comercial, levar dinheiro vivo e à conta é uma forma de evitar as compras por impulso, já que assim estará mais limitado naquilo que pode comprar.

 -Não faça compras só porque sim

É comum, ao fim de uma semana difícil, fazer um exagero no que diz respeito a compras, com o argumento “eu mereço”. É claro que merece, mas trata-se aqui de uma questão de prioridades para chegar ao seu objetivo de poupança dentro do prazo que estabeleceu e muitas vezes o que se compra é basicamente para ficar lá em casa a ganhar «mofo».

- Escolha bem o que compra

Há muitos produtos de marca branca tão bons como os de marcas conceituadas e aí irá poupar dinheiro. Não há nada como experimentar, e se gostar, esta prática vai traduzir-se numa poupança significativa nas compras de supermercado. Mas, não abdique de alguns produtos de maior qualidade ou de que goste mais apenas para poupar. Até porque é tudo uma questão de prioridades e existem coisas que o barato sai caro.

- Utilize os programas de pontos

Muitas empresas têm programas de pontos para fidelizar os seus clientes. Esteja sempre atento aos pontos que tem associados a cartões e à data de validade dos mesmos, para que possa usufruir em tempo útil de descontos e outras vantagens. Existem coisas que não custa nada. Se meter gasolina num sitio certo, mas que ao mesmo tempo tem um cartão com brindes associados, porque não utiliza-lo?

- Doe o que já não usa

Além de ajudar quem mais precisa, ganha espaço no armário para ter uma ideia clara daquilo que tem e do que realmente usa. Assim, à próxima vez que achar que não tem um determinado tipo de roupa para vestir, já vai conseguir ver no armário aquela peça que antes estava escondida entre um monte de roupa que não já não usava. Verá que terá uma surpresa enorme em ver tudo aquilo que não utiliza ou que nem sequer estreou.

- Compre menos e repare mais

Hoje em dia está na moda comprar um electrodoméstico mesmo que o antigo ainda funcione. E, embora seja verdade que alguns equipamentos têm reparações mais caras do que a substituição, quando se avariam esta não é uma lei universal para tudo. Na próxima vez que tiver o azar de algo se avariar, peça um orçamento de reparação antes e compare com o preço do artigo novo.

- Arranje um dia do mês para não comprar nada ou só mesmo o essencial

Não se trata aqui de poupar, mas de ver, por si próprio, que é possível viver sem gastar muito. Um dia por mês, não compre rigorosamente nada ou aquelas essenciais como o pão. Beba café em casa, leve comida para o trabalho e tente até nem utilizar o seu carro. Verá que ainda é capaz de se surpreender!

- Compre online

Muitas lojas aplicam bons descontos a quem faz as suas compras online. E depois, existe a possibilidade de comprar artigos no estrangeiro, por vezes a preços mais acessíveis, mas aí faça uma pesquisa para ver quais os sites mais seguros.

- Use cupões de oferta

Além dos cupões de supermercado que recebe na sua caixa de correio, existem vários sites na internet que oferecem descontos na compra de alguns produtos ou serviços, especialmente restaurantes ou lojas de roupas. Se realmente precisar de algo nas lojas que encontra aproveite.

- Aprender a dizer não

Isto aplica-se não só aos operadores de telemarketing (sendo que a Endesa já me ligou umas 50 vezes) que lhe ligam diariamente a vender serviços, aqueles senhores que estão a vender cartões no centro comercial mas também aqueles amigos que o convidam a sair e a jantar fora mesmo quando lhe apetece é ficar em casa.

- Veja os custos do ginásio

Pode poupar na mensalidade do ginásio fazendo passeios a pé ou de bicicleta e alguns exercícios em casa. Mas se é como eu e não dispensa o exercício no ginásio, então veja qual o tarifário que se adequa a si e escolhendo um horário até mais curto em duas horas por dia poupa 4 € por mês. Parece pouco, mas ao fim do ano poupa quase 50€.

Para não me tornar muito aborrecido, vou terminar por aqui prometendo que que amanhã ou depois voltarei a este tema.

16
Ago20

No poupar é que está o ganho

jl

poupar electricidade.jpgBoas.

Mais uma semana que passou e o Euromilhões não quis nada comigo. Mediante isto toca a trabalhar e conforme eu digo isto, muitos milhões dirão o mesmo. Claro que a minha avó já dizia que haja saúdinha, mas o meu lema é que mais vale rico e com saúde do que pobre e doente. A verdade seja dita eu até nem precisava do Euromilhões, bastava ter umas acções da EDP que me ajudaria a ficar um pouco mais feliz.

E digo isto porque quando a factura da EDP chega cá a casa fico sempre na dúvida se eles pensarão que eu ande a assaltar Bancos.

Mas como nunca enveredei por essa «profissão», o poupar na electricidade é aquilo que hoje em dia se pode fazer. Se existem coisas que até poderão ser complicadas de se fazer, isto de se poupar na conta da luz, existem pequenas coisas que até a minha pimpolha pode fazer. Vamos lá ver então o que se pode fazer em relação a um dos maiores sorvedores da factura da luz de lá de casa e esses são os electrodomésticos. Embora não nos apercebamos os electrodomésticos representam cerca de 55% dos nossos gastos em electricidade. Aqui vão alguns casos:

Frigorífico

Este electrodoméstico é por natureza o maior glutão que temos em casa. Sozinho este aparelho, é responsável por cerca de 20% do consumo energético de uma habitação?

Uma vez que não é possível abolir este custo na totalidade a não ser que viva na Idade da Pedra (e nesse caso não deve estar a ler este artigo), o frigorífico é daquelas coisas indispensáveis, mas existem práticas diárias que se podem adoptar para poupar nestes gastos, tais como: evitar abri-lo constantemente, colocar alimentos ainda quentes no seu interior e logicamente certificar-se de que o mantém sempre limpo. O melhor será optar por colocá-lo num sítio ventilado e longe de fontes de calor, verificando também de tempos a tempos o estado das borrachas para que se mantenha bem vedado.

Televisão

A televisão representa cerca de 12% do consumo energético de uma casa. E em quantas casas não acontece que esteja mais que um aparelho ligado? E mesmo quando a desliga com o comando, a televisão continua a gastar energia porque fica em stand-by. O truque para evitar este consumo extra é desligá-la da tomada, pelo menos durante a noite (e todos os aparelhos somados ao fim de um ano representam euros atirados ao lixo) e quando vai de férias.

Se tem um aparelho antigo lembre-se que são autênticos sorvedores de dinheiro e mesmo os mais recentes isso embora com menos valor acontece. As televisões LED consomem menos 25% de energia do que as LCD e até menos 40% do que as plasma.

Máquina de lavar roupa

É daqueles aparelhos que nenhuma casa o dispensa, mas este electrodoméstico consome cerca de 11% do consumo de energia, mais a água que consome.

Mas existem alguns truques para poupar electricidade e água:

Ligue a mesma só quando atingir a capacidade máxima de roupa

Opte pelos programas de lavagem económicos

Limpar o filtro periodicamente

Utilizar temperaturas mais baixas sempre que possível.

Forno

Também o forno é um dos electrodomésticos cuja utilização tem um grande peso na factura da electricidade lá de casa (estás a ver Maria não posso estar tanto tempo na cozinha), representando à volta de 8% do consumo lá de casa.

Se realmente é adepto do assadinho, então evite abrir a porta do forno quando está ligado, pois, de cada vez que isso acontece, 25% de energia voam do mesmo; mantê-lo limpo e sem gorduras é o melhor que pode fazer para o seu bom funcionamento e ainda desligá-lo cerca de 10 minutos antes do fim da confecção dos alimentos, aproveitando dessa maneira o calor residual.

– Computador

À primeira vista este aparelho parece inofensivo, mas consome cerca de 7% de energia em sua casa. O que fazer para ajudar?

Desligue o computador em vez de o deixar em stand-by

Reduza a luminosidade do ecrã (o mesmo se aplica aos telemóveis)

Desligue todos os periféricos como impressoras, microfones, altifalantes, colunas, webcams…

Se o mesmo for um portátil, desligue-o da corrente sempre que estiver carregado e ligue apenas quando voltar a ficar sem bateria.

– Box de televisão

Este é daqueles aparelhos que quase que ninguém repara, mas a box que tem em casa e que lhe dá acesso aos canais por cabo apresenta um consumo elevado só por estar ligada à tomada, mesmo que não estejaa funcionar. Esta pode consumir entre 6,5 W a 14 W por hora e, por isso, para poupar neste gasto, opte por desligá-la da tomada, tal como faz com a televisão.

– Microondas

Este electrodoméstico é daqueles que dá muito jeito no nosso dia-a-dia, mas é importante ter atenção à forma como lhe damos uso para evitar um gasto desnecessário de energia. Evite deixar a porta aberta ou o temporizador ligado, pois, mesmo não estando em funcionamento, poderá ter um consumo adicional de cerca de 3 W por hora.

Isto não quer dizer que os seus gastos em electricidade irão desaparecer milagrosamente, mas com estas dicas certamente que a sua conta não o assustará tanto.

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2022
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2021
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2020
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2019
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2018
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2017
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2016
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2015
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub